Mensagens de Trabalho

Certa vez, uma jovem esposa, depois de dez anos de casamento, decidiu deixar o lar. De algum tempo, a situação se fazia insustentável e ela decidiu começar vida nova. Abandonou esposo e filho, garoto de seis anos.
Dois anos depois, já com um novo amor a lhe fazer bater o coração descompassado e um trabalho em agência de Correios, foi surpreendida por um papel dobrado em quatro, que caiu dentre os tantos envelopes que ela separava para envio.
Era uma folha de caderno, sem envelope, destinada simplesmente a Jesus. A curiosidade fez com que ela abrisse a folha e começasse a ler.
Dizia a carta, escrita em letra infantil: "Jesus, eu estou muito doente. Tenho muita tosse. Sei que papai cuida de mim, em todas as horas que não está no trabalho. Tia Margarida e tia Magda também. Mas Jesus, eu estou tão doente. E por isso eu escrevo esta carta para lhe pedir um presente. O meu aniversário está próximo. Seria possível me trazer, no dia em que eu vou completar oito anos, a minha mãe de volta? Não sei onde ela se encontra mas o senhor deve saber, com certeza. Se o senhor puder, por favor, Jesus, traga minha mãe de volta. Se ela voltar, a nossa casa vai se alegrar outra vez. Haverá flores nas janelas. E eu melhorarei.
A minha tosse vai passar. Jesus, eu queria tanto, no meu aniversário, abraçar minha mãe outra vez. Sei que eu não sou um bom menino, mas eu peço assim mesmo porque quando minha mãe estava conosco ela sempre dizia que tudo o que se pedisse a você, você conseguiria. Eu vou ficar esperando, Jesus, por favor, traga de volta minha mãe."
A assinatura não deixava dúvidas. Era do seu filho, o garoto que deixara aos seis anos, quando partira para sua nova vida.
Rita deixou o trabalho naquele dia e voltou para casa. Bateu à porta e surpresa, tia margarida a viu entrar. Passou pela sala e o marido, igualmente surpreendido, somente a olhou sem nada dizer. Foi ao quarto do filho, que tossia, deitado em sua cama.
Ao vê-la, o garoto sorriu, abriu os braços e exclamou:
– Mãe, Jesus trouxe você!

Era uma vez um anjinho, muito distraído, chamado Amorel ele recebeu uma incumbência de Deus:

- Amorel, acabo de inventar os humanos, eles estão classificados como homem e mulher.

Cada um tem seu par e já estão todos alinhados de par em par.

Pegue esta bandeja de humanos e leve para que eles habitem a Terra.

Amorel, ficou contente, pois há muito tempo o Senhor não o chamava para tão nobre trabalho.

O anjinho pegou a bandeja e ao virar uma esquina lá no céu, trombou com uma anjinha chamada Amanda.

A bandeja voou longe, e todos os casais de humanos se misturaram.

Amorel e Amanda ficaram desesperados e foram contar para Deus o ocorrido.

O Senhor falou:

- Vocês derrubaram, vocês juntarão!

Porém, parece que Deus se esqueceu que os anjinhos eram distraídos.

E é por isso que a cada dia os casais se juntam e se separam.

Os dois anjinhos, trabalham incessantemente para que os casais originais se encontrem.

O trabalho é muito difícil, tanto é que por muitas vezes eles juntam casais errados, pois os humanos espalhados ficam inquietos e cobram o serviço dos anjinhos o tempo todo.

Quando os humanos se mostram muito desesperados, os anjinhos unem dois desesperados, mas logo depois percebem o engano e os separaram.

E, por muitas vezes, está separação é brusca, pois não se tem tempo a perder.

Recebi um bilhete dos dois anjinhos e vou mandar pra você agora:

"Se você é um humano, queremos pedir desculpas pela nossa distração, pois errar não é só humano!

Estamos trabalhando com empenho, porém, sempre contando com a ajuda de vocês.

Não se desesperem mas também, não se isolem, tentem se mostrar realmente, quem é cada um de vocês, pois a medida que cada um mostrar o que é de verdade, vai tornar o nosso trabalho mais fácil.

Aproveitamos a oportunidade, para nos desculpar pelas separações abruptas, sabemos que elas geram muito transtorno, mas se nós o separamos de alguém, é por que em algum canto vimos alguém bem mais parecido e por isso precisamos isolá-los para facilitar o encontro.

Fiquem com Deus."

Como anda a sua motivação pelo trabalho e pelos outros compromissos da vida? Imagine a vida como um jogo onde você faz malabarismo com cinco bolas. O nome dessas bolas são trabalho, família, saúde, amigos e espírito. O trabalho é uma bola de borracha. Se cair, bate ao chão e pula para cima.
As outras quatro bolas são de vidro, isto é, se caírem, se arrebentam no chão e ficam danificadas para sempre. Entender isso é buscar o equilíbrio na vida. Mas como? Não diminuindo o próprio valor e não comparando-se com outras pessoas. Somos todos diferentes. Cada um de nós é um ser especial feito por Deus.
Não fixe seus objetivos com base no que os outros acham importante. Só você está em condição de escolher o que é melhor para sua vida. Dê mais valor as coisas mais queridas ao seu coração. Sua vida irá brilhar mais! A vida carece de sentido.
Não deixe que a vida escorra entre os dedos por viver no passado ou futuro. Não se esqueça que o presente é uma dádiva de Deus. Se viver um dia de cada vez, sua viagem será tão boa quanto o destino. Não desista quando ainda você é capaz de caminhar um quilômetro a mais. Nada termina até que se deixa de tentar. Não tenha medo de admitir que você não é perfeito.
É aprendendo a correr riscos que aprendemos a ser vitoriosos. Não exclua o amor de sua vida, dizendo que não pode ou não consegue encontrá-lo. Ele é o diferencial da sua vida. É a melhor forma de encontrar amor é dar amor. Se você der asas para o amor você atingirá as alturas e o melhor equilíbrio da vida que é ser feliz.
Pense nisso!

Venha comigo à prisão mais povoada do mundo. A instalação tem mais "pensionistas" do que beliches. Mais prisioneiros do que pratos. Mais "moradores" do que recursos.
Venha comigo à prisão mais opressiva do mundo. É só para prisioneiros, dirão à você. Eles são sobrecarregados de trabalho e são subalimentados. As paredes são nuas e os beliches são duros. Nenhuma prisão é tão povoada, nenhuma prisão tão opressiva, e, o principal, nenhuma prisão é tão permanente. A maioria dos internos nunca partem. Eles nunca fogem. Eles nunca são soltos. Cumprem uma pena de prisão perpétua nesta superlotada e mal provida instituição.
O nome da prisão? Você verá sobre a entrada. Em um arco sobre o portão estão as seis letras de ferro que explicitam seu nome: Q-U-E-R-E-R A prisão do querer. Veja seus prisioneiros. São os "que querem". Eles querem algo. Eles querem algo maior. Mais caro. Mais rápido. Mais fino. Querem.
Eles não querem muito, pensa você. Querem apenas uma coisa. Um novo trabalho. Um novo carro. Uma nova casa. Um novo esposo. Eles não querem muito. Querem somente um.
E quando têm o "um," estarão felizes. Está certo – estarão felizes. Quando eles têm o "um," deixarão a prisão. Mas então acontece. O aroma do carro novo passa. O novo trabalho envelhece. Os vizinhos compram um televisor maior. O novo esposo tem maus hábitos. E antes do que você imagina, outra vigarice quebra o livramento condicional e retornam à prisão.
Você está na prisão? Você se sente melhor quando tem mais e se sente pior quando tem menos. Você estará feliz se estiver à caminho uma nova entrega, uma transferência, um prêmio ou uma remodelação. Se sua felicidade vem de algo que você deposita, dirige, bebe ou digere, então encare – você está na prisão, a prisão do querer...

1. Mesmo que você não siga nenhuma religião, entre uma igreja ou num templo vazio, sente-se e descanse, curtindo a paz e o silêncio.
2. Escolha um guru e acredite nele.
3. Participe de um trabalho voluntário. Ajudar a quem precisa dá sentido maior à vida.
4. Aprenda a rir de você mesmo(a).
5. Curta aquilo que você tem e não fique comparando posses.
6. Não repasse notícias ruins. Uma situação vira tragédia quando passada de boca em boca. Se ouvir informação triste, guarde para si.
7. Compartilhe suas incertezas. Ao escutar o que os outros têm a dizer, as dúvidas se aclaram.
8. Preste atenção na intuição. Ser intuitivo é deixar o coração dar um pulinho no futuro e voltar rapidinho.
9. Não permita que sua vida gire em torno de um único tema. Investir energia em uma só coisa é correr risco de deixar de ter prazer em outras.
10. Seja seu maior fã. Você é incrível.
11. Diga mais "eu te amo". Mostre entrega, carinho e disposição para aceitar o outro do jeito que é. Não espere uma ocasião especial.
12. Tenha jogo de cintura. É mais fácil aceitar as mudanças quando entendemos que não é possível controlar tudo nem todos.
13. Arranje um passatempo. Você nunca conseguirá estar à frente no seu trabalho se tudo o que você é se resume ao seu trabalho.
14. Saiba receber um elogio. A admiração pode ser sincera e fazer bem ao ego.
15. Agradeça. Você pode levantar as mãos para o céu, dobrar os joelhos, acender uma vela, dar três pulinhos, beijar uma imagem... Não importa o ritual. Vale a sensação de que o universo está lhe dando o que pode dar – e que você é uma pessoa abençoada por isso.
16. Ouça uma canção alegre e cante junto.
17. Desligue a televisão e converse com os amigos, o marido ou a esposa, o namorado ou a namorada, o cachorro, o papagaio...

O jardineiro chegou para o seu trabalho costumeiro No jardim da alegria revolveu a terra do sentir e adubou com amor. Colocou vitaminas de esperança e preparou o canteiro com muito carinho...
Separou com delicadeza as mudas cultivadas com cuidado e trato. Organizado, o jardineiro plantou as mudas, observando a harmonia das cores das flores que ali enfeitariam um dia.
Cada mudinha recebeu cuidado especial nesse momento delicado. Canteiro feito, todas foram regadas com muito zelo e atenção.
Mas seu trabalho ainda não havia terminado. Ervas daninhas estavam prejudicando o sucesso da roseira. Lá se foi o jardineiro cuidar da rainha das flores. Não teve receio dos espinhos, sabia lidar com eles. Não maculou uma só flor, tinha talento no que fazia. Desbastou tudo o que poderia atrapalhar o crescimento da bela roseira. Fez mais, afofou a terra ao seu redor e adubou para dar mais força à mais bela das belas.
Um bom jardineiro não faz um serviço pela metade.
Mas ainda não havia findo o seu dia de trabalho. Teria que dar um trato nas árvores frutíferas, pois elas garantiriam alimento para todos. Podou galhos secos, removeu folhas mortas, e pulverizou pesticida por todo o pomar, garantindo assim a proteção aos frutos.
Como de costume, capinou ao redor das árvores e adubou a terra, fortalecendo as árvores. Pensando sempre no futuro. Bons jardineiros são sábios e prevenidos.
Mas o serviço do jardineiro ainda não havia terminado... Na verdade os bons jardineiros da vida não param um só minuto... O jardim que eles têm pela frente é vasto, fértil, mas está sempre precisando de cuidados especiais.
Se não quisermos viver num terreno baldio, nem padecer de falta de alimentos para nossa alma, devemos cuidar com carinho do jardim que nos foi confiado, Afinal somos ou não somos amantes da vida?

A gente lê muito adesivo em carro, em caminhão pelas ruas, né? Alguns são engraçados, outros trazem mensagens religiosas... Na maioria das vezes eu leio e esqueço.

Hoje eu estava vindo para cá e li no vidro de um carrão bonito, uma mensagem que me fez pensar e que eu queria dividir com vocês. A frase era assim:

"Nenhum sucesso profissional compensa um lar fracassado".

Eu acho que todo mundo tem que correr atrás do sonho, do sucesso profissional... A ambição, quando bem direcionada, é saudável, faz a gente feliz.

Mas tem gente que se envolve tanto com essa busca pelo sucesso, pela independência financeira, que acaba deixando coisas importantes de lado.

Então, não adianta nada a gente chegar lá em cima, no topo, se não tem base forte aqui embaixo pra nos sustentar. E a base de tudo é a casa da gente. E quando eu digo casa, eu quero dizer a família, os amigos e todas as pessoas envolvidas na nossa vida fora do trabalho.

Por isso, é importante ficar atento. No caminho em busca do sucesso, tenha o cuidado de plantar coisas boas. Faça amigos que lhe respeitem pelo que você é e não pelo que você tem. Cuide do seu amor com carinho.

E, mais importante de tudo: Esteja perto da família e torne-se indispensável dentro de casa. Faça de tudo para ter sucesso no trabalho. Mas lembre-se que, prestígio, poder, dinheiro... Tudo isso pode acabar um dia... Mas a casa da gente é pra sempre. Os filhos, os pais, os companheiros, os namorados, os amigos de verdade é que permanecem.

E quem tem isso, gente, tem todo o sucesso do mundo!

Ana Maria Braga

Um homem chegou em casa, vindo do trabalho, e encontrou seus três filhos brincando do lado de fora, ainda vestindo pijamas. Estavam sujos de terra, cercados por embalagens vazias de comida entregue em casa.
A porta do carro da sua esposa estava aberta. A porta da frente da casa também. O cachorro estava sumido, não veio recebê-lo.
Enquanto ele entrava em casa, achava mais e mais bagunça. A lâmpada da sala estava queimada, o tapete estava enrolado e encostado na parede. Na sala de estar, a TV estava ligada aos berros num desenho animado qualquer, e o chão estava atulhado de brinquedos e roupas espalhadas.
Na cozinha, a pia estava transbordando de pratos. ainda havia café da manhã na mesa, a geladeira estava aberta, tinha comida de cachorro no chão e até um copo quebrado em cima do balcão. Sem contar que tinha um montinho de areia perto da porta. Assustado, ele subiu correndo as escadas, desviando dos brinquedos espalhados e de peças de roupa suja. "Será que a minha mulher passou mal?" ele pensou.
"Será que alguma coisa grave aconteceu?" Daí ele viu um fio de água correndo pelo chão, vindo do banheiro. Ele encontrou mais brinquedos no chão, toalhas ensopadas, sabonete liquido espalhado por toda parte e muito papel higiênico na pia. A pasta de dente tinha sido usada e deixada aberta e a banheira transbordando água e espuma. Finalmente, ao entrar no quarto de casal, ele encontrou sua mulher ainda de pijama, na cama, deitada e lendo uma revista.
Ela olhou para ele, sorriu, e perguntou como foi seu dia. Ele olhou para ela completamente confuso, e perguntou que diabos havia acontecido em casa para tudo estar tão bagunçado. Ela sorriu e disse:
"Todo dia, quando você chega do trabalho, me pergunta o que eu fiz o dia inteiro dentro de casa."
-TÁ E DAÍ?
– "Bem...querido, hoje eu não fiz nada!"

Senhor,
Clareia-nos o entendimento, a fim de que conheçamos em suas consequências os caminhos já trilhados por nós; entretanto, faze-nos essa concessão mais particularmente para descobrirmos, sem enganos, as estradas mais retas que nos conduzem à integração com os teus propósitos.

Alteia-nos o pensamento, não somente para identificarmos a essência de nossos próprios desejos, mas sobretudo para que aprendamos a saber quais os planos que traçaste a nosso respeito.

Iluminai-nos a memória, não só de modo a recordarmos com segurança as lições de ontem, e sim, mais especialmente, a fim de que nos detenhamos no dia de hoje, aproveitando-lhe as bênçãos em trabalho e renovação.

Auxilia-nos a reconhecer as nossas disponibilidades; todavia, concede-nos semelhante amparo, a fim de que saibamos realizar com ele o melhor ao nosso alcance.

Inspira-nos ensinando-nos a valorizar os amigos que nos enviaste; no entanto, mais notadamente, ajuda-nos a aceitá-los como são, sem exigir-lhes espetáculos de grandeza ou impostos de reconhecimento.

Amplia-nos a visão para que vejamos em nossos entes queridos não apenas pessoas capazes de auxiliar-nos, fornecendo-nos apoio e companhia, mas, acima de tudo, na condição de criaturas que nos confiaste ao amor, para que venhamos a encaminhá-los na direção do bem.

Ensina-nos a encontrar a paz na luta construtiva, o repouso no trabalho edificante, o socorro na dificuldade e o bem nos supostos males da vida.

Senhor,
Abençoa-nos e estende-nos as mãos compassivas, em tua infinita bondade, para que te possamos perceber em espírito na realidade das nossas tarefas e experiências de cada dia, hoje e sempre.

Assim Seja.

Emmanuel