Mensagens de Criança

Depende de nós
Quem já foi ou ainda é criança
Que a credita ou tem esperança
Quem faz tudo pra um mundo melhor

Depende de nós
Que o circo esteja armado
Que o palhaço esteja engraçado
Que o riso esteja no ar
Sem que a gente precise sonhar

Que os ventos cantem nos galhos
Que as folhas bebam o orvalho
Que o sol descortine mais as manhãs

Depende de nós
Se esse mundo ainda tem jeito
Apesar do que o homem tem feito
Se a vida sobreviverá

Feliz Dia Das Crianças!!

O mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois, treme, treme, treme,
faz um O bastante oblongo,
faz um S.

O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q,
faz um U, e faz um I.

Este mosquito
esquisito
cruza as patas, faz um T.
E aí,
se arredonda e faz outro O,
mais bonito.

Oh!
Já não é analfabeto,
esse inseto,
pois sabe escrever seu nome.

Mas depois vai procurar
alguém que possa picar,
pois escrever cansa,
não é, criança?

E ele está com muita fome.

A Lua Cheia
adora vestido
de bolinha
Diz que realça
as suas formas.

A Lua Crescente
fica indecisa
pra se vestir e
acaba sempre
pedindo emprestado
o blue jeans
do Dragão Ariosto

A Lua Minguante
acha as lojas do céu
muito caras e
confecciona suas
próprias roupas
na máquina
de costura da
Aranha Tatanha

A Lua Nova
adora os lenços
e os laços, mas
o que gosta mesmo
é de um abraço.

Achei um segredo
Descobri um medo.

Achei um pedaço
da saia da
Rainha Pinga Minga
Tem junto uma mandinga.
Cruz Credo! Não abri ainda!

Achei a calcinha da
Branca de Neve
Quem achar pode usar
Será que me serve?

Achei o penico do
Feiticeiro da Barba Pouca
O penico é de ouro
Deu no touro
Será penico
ou será tesouro?

Achei um brinco da Cinderela
Guardei tão bem guardado
num cofre inventado,
que nunca mais encontrei.
Será que eu sonhei?

A casa da Joaninha
fica bem vizinha à minha.
Vou lhe fazer uma visita
porque moramos bem pertinho.

Toc, toc, toc
(bato à porta
porque não tem campainha).
"—Aqui é sua vizinha,
Dona Baratinha,
vim fazer suas unhas!"
Ela responde enfadonha:
"— Pode entrar, estou no banho!
Falta secar minhas asinhas!
Espere só um minutinho."

"— Não tenha pressa - eu replico -
vou esperar na cozinha
que é meu local preferido."

E fiquei ali sozinha,
comendo um pedaço de sonho
e assistindo desenho.
Acabou me dando um
Soninho

Quem me compra um jardim
com flores?

borboletas de muitas
cores,

lavadeiras e pas-
sarinhos,

ovos verdes e azuis
nos ninhos?

Quem me compra este ca-
racol?

Quem me compra um raio
de sol?

Um lagarto entre o muro
e a hera,

uma estátua da Pri-
mavera?

Quem me compra este for-
migueiro?

E este sapo, que é jar-
dineiro?

E a cigarra e a sua
canção?

E o grilinho dentro
do chão?

Olhe o sapo:
pula aqui,
pula acolá.
Nos dois pés,
nas mãozinhas,
ou num pé só.

Coitadinho deste sapo
é tão feio de dar dó!
Salta longe,
pirueta,
dá um susto,
faz um nó.

Nesta lida,
engraçada,
o sapinho,
tão feinho,
conquistou-me
um sorrisinho...
amarelinho.

Mas, ó seu Sapo,
fique atento!
Se pular
perto da vovó,
tão medrosa,
coitadinha,
pode crer,
seu sapinho,
você vai virar pó.

O menino quer um burrinho
para passear.
Um burrinho manso,
que não corra nem pule,
mas que saiba conversar.

O menino quer um burrinho
que saiba dizer
o nome dos rios,
das montanhas, das flores,
— de tudo o que aparecer.

O menino quer um burrinho
que saiba inventar histórias bonitas
com pessoas e bichos
e com barquinhos no mar.

E os dois sairão pelo mundo
que é como um jardim
apenas mais largo
e talvez mais comprido
e que não tenha fim.

A TV está na sala
A outra está na cozinha
Mas a que tenho no quarto
Essa é minha, muito minha.
Também há uma TV
No quarto do meu irmão
Outra no da minha tia
E uma grande no salão.
Os meus pais compraram uma
Portátil e maneirinha
Que meteram na marquise
Mesmo ao lado da cozinha
No armário das toalhas
Bem em frente ao WC
E juntinho ao lavatório
Também está uma TV
Já estou farto de pedir
Tirem a TV daqui
Parece que está lá gente
Quando vou fazer chichi!

O Cometa não é estrela
Nem planeta,
O Cometa é viajante
Estelar,
Grande rei andarilho,
De bela coroa
E cauda a brilhar...

O dado no dedo,
o dedo no dado.

Conto os pontos:
um-dois-três-
quatro-cinco-seis.

As bolinhas
bem redondinhas
em cada lado.
Atiro um punhado
de cada vez.

O branco no preto,
o preto no branco
do quadradinho.

Não sei se de osso,
madeira ou marfim,
os dados deste saquinho
que mamãe comprou pra mim.

Na escola,
de manhã
quase cedinho,
pulo corda
e também amarelinha.
À tardinha,
já enfadada,
pulo o muro
do vizinho,
pra roubar
daquela árvore,
bons punhados
de frutinhas.
Quase à noitinha:
eu já cansada...
e minha mãe
quer conversar;
adivinha!?
Hora de pular
bem miudinho
e sem gaguejar,
explicar tudinho tudinho...
assim:
tin-tin
por
tin-tin.

Dia da criança é todo dia,
é toda lua,
é toda rua
para brincar.

Dia da criança
é todo sol,
é todo rio,
barquinho inventado
pra navegar.

Dia da criança
é toda pipa
rasgando o céu,
é tudo o que está
e não está
atrás do véu
e atrás da cortina,
andar feito bailarina
sobre os anéis de Saturno.

Dia da criança
é todo dia
até a gente ficar bem velhinho,
de bengala e neto no colo.

Dia da criança
é todo dia
e todo dia
é de poesia.

Roseana Murray

Feliz Dia das Crianças, querida irmã! Eu sei que você já não é propriamente uma criança, mas é minha irmã caçula.

Então eu não consigo distanciar esse dia com a menina que eu vi crescer, que eu brinquei, que eu ajudei a pegar no colo; a menina que eu vi a dar os primeiros passos! Feliz Dia das Crianças, porque você tem uma infantilidade genuína que contagia todo mundo. É bom demais ser sua irmã! Nunca mude. Beijo.

Queria eu, ter a pureza de uma criança. Sorrir ao ganhar um presente sem se importar com o valor que foi gasto. Pegar o cobertor pela manhã e ir assistir o desenho favorito. Ir para a escola pensando em brincar. Chorar já com saudade da mãe ao vê-la se retirando para ir trabalhar. Gritar pelo nome do pai ao ter um pesadelo. Não se preocupar com os problemas do mundo, e sim com o horário do lanchinho da tarde.

Queria eu, ter a inocência de uma criança. Achar que sofrimento não existe, e que a palavra dor é só mais uma entre muitas outras. Acreditar que bicho papão só faz medo em desenhos, e que se por acaso ele surgisse embaixo da cama, o cobertor favorito me protegeria. Queria eu, ser feliz como uma criança. Se satisfazer com o abraço da mãe e a atenção do pai. Saltar de alegria ao saber que iria no parquinho. Rir até a barriga doer com as cócegas que a avó faz. Se aconchegar no colo da mãe enquanto a mesma conta a historinha preferida.

Queria eu, voltar a ser criança.

Laureane Antunes

Aposto que você hoje se levantou mais cedo,
para que o dia pudesse ser
um pouquinho mais longo, não foi?

É claro!
Hoje é o dia das crianças
e deste dia, você não abre mão.

Só abre os presentes, os bombons, os docinhos
enfim, tudo o que há de gostoso
para ser desfrutado.

Não é por nada não,
mas você está crescendo muito rápido.
Jura que nem gosta de carrinhos
e de músicas infantis,
mas eu, particularmente duvido.

Está estampado em seu sorriso
o quanto você gosta de se divertir.
Então, aproveite hoje o dia da criança,
o seu dia, mas na hora que mamãe
te mandar estudar, vá correndo.

Sabe por quê? Porque estudando
a gente aprende a ser feliz
e a fazer os outros felizes.

Feliz dia da criança!

Ler e escrever, por si mesmos, não são educação. Eu iniciaria a educação da criança, portanto, ensinando-lhe um trabalho manual útil, e colocando-a em grau de produzir desde o momento em que começa sua educação. Desse modo todas as escolas poderiam tornar-se auto-suficientes, com a condição de o Estado comprar os manufaturados.
Acredito que um tal sistema educativo permitira o mais alto desenvolvimento da mente e da alma. É preciso, porém, que o trabalho manual não seja ensinado apenas mecanicamente, como se faz hoje, mas cientificamente, isto é, a criança deveria saber o porquê e o como de cada operação.
Os olhos, os ouvidos e a língua vêm antes da mão. Ler vem antes de escrever e desenhar antes de traçar as letras do alfabeto.
Se seguirmos este método, a compreensão das crianças terá oportunidade de se desenvolver melhor do que quando é freada iniciando a instrução pelo alfabeto.

Gandhi

Ser criança é assim... Correr até acabar o fôlego, rolar pelo chão sem medo de se sujar, falar o que vier na cabeça e fazer de qualquer coisa uma brincadeira. Época da vida da qual temos saudades quando envelhecemos.

E é exatamente nesta data dedicada a todos esses pequenos seres, que têm a inocência como principal característica, que devemos não só valorizar a vitalidade infantil, como também procurar resgatar a essência da criança.

Feliz Dia das Crianças!

Criança, você que hoje brinca espalhando encantamento, que mesmo no mal enxerga o bem, você é o futuro e nas suas mãos inocentes está a justiça do amanhã. Feliz dia das crianças!

O mundo será seu, mas agora apenas contam as brincadeiras, o sono tranquilo, os doces irresistíveis e os sorrisos sinceros. Continue assim, criança, brincando em paz no dia de hoje, pois nós tudo faremos para preparar você para o dia de amanhã!

Jesus abençoa as crianças!
Trouxeram-lhe, então, algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos e orasse; mas os discípulos os repreendiam.
Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus...

Bíblia

O amor é paciente, o amor é benigno, não é invejoso,
não é orgulhoso, não se ensoberbe;
Não é descortês, não é interesseiro, não se irrita, não
guarda rancor;
Não se alegra com injustiça, mas se compra com a verdade;
Tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo tolera.
O amor nunca acabara; as profecias?
Terão fim; as línguas?
Cessarão; a ciência?
Terminará.
Pois quando nosso conhecimento é imperfeito é também a profecia.
Mas quando chegar a consumação, desaparecerá o imperfeito.
Quando era criança, falava como criança, quando cheguei
a ser mulher, deixei as coisas de criança agora inúteis.
No presente vemos por um espelho e obscuramente;
Então, veremos face a face.
No presente conheço só em parte;
Então conhecerei como sou conhecido.
No presente permanecem estas três:
Fé, esperança e amor;
Delas, porém, a mais excelente é o amor.

O seu tempo é mágico.
Bruxas, fadas, duendes
povoam seus sonhos.
Na sua realidade
os brinquedos ganham vida
e tanta fantasia, às vezes espanta,
nos encanta.
De seu sorriso puro,
de sua ingenuidade,
a mentira não faz parte.
Você não tem vergonha
de extravasar sua sensibilidade.
Brinca,
pula,
grita,
chora,
reclama,
abraça,
faz graça,
não guarda rancor.
Não entende a dor,
o abandono,
pois você é amor.
Sonhe, criança!
Cresça,
mostre ao homem
que sua lição de verdade
pode conduzir à Fraternidade

Feliz Dia das Crianças