Poema - Mensagens

Mulheres serenas, promessas de nada, mulheres de vento, de sopro divino, mulheres de sonho, mulheres sentido, mulheres da vida, melhor ter vivido...
Mulheres de tempo, em que tudo que havia fazia sentido, mulheres que eu vejo, no sol de janeiro, mulheres saídas de potes de vidro, mulheres faceiras, as mais feiticeiras, melhor ter sorrido...
Mulheres de tantos e tantos perigos, mulheres de vinho e de vã harmonia, mulheres convívio, mulheres no cio, as mais parideiras, melhor ter nascido...
Mulheres de luzes e de absinto, mulheres que um dia sonhei colorido, mulheres de santos, mulheres de igrejas, as mais rezadeiras, melhor sacrifício
Mulheres que um dia deitaram comigo, mulheres tão lindas e de maior juízo, mulheres de danças, as tranças nos ombros, meus olhos caídos...
Mulheres que fecham a vã poesia, mulheres que o ouro não tem nem princípio, mulheres de outono, o seu abandono, melhor ter carinho...
Mulheres de um tempo em que estive sozinho, mulheres de riso abrindo janelas, mulheres que sonham, seu sono macio, melhor o seu ninho...
Mulheres do dia e da noite, eternos, mulheres que lutam, raízes na terra, mulheres que as feras, no meio da noite, não mais intimidam...
Mulheres espera, no mar do abandono, mulheres teares, tecendo seu linho, mulheres tão loucas, Seu beijo na boca, uma taça de vinho...
Feliz Dia Internacional da Mulher!

Você surgiu como suave melodia trazida pela brisa. dilatou-se no silêncio de minha alma e fez-se moldura em meu viver.
Isso se chama ventura...
Há algo em você que transparece num olhar, como estrela no céu atapetado de astros e exterioriza-se num sorriso como canção tocada na harpa dos ventos.
Isso se chama ternura...
Sem olhar, você me percebe, sem falar você me diz, sem me tocar você me abraça...
Isso se chama sensibilidade...
Quando me perco em labirintos escuros você me mostra o caminho de volta.. Quando exponho meus tantos defeitos, você faz de conta que não nota...Se enlouqueço, você me devolve a razão...
Isso se chama compaixão...
Nos dias em que as horas passam lentas, sem graça e sem luz, nos seus braços eu encontro alento.
Quando os dias alegres de verão partem e em seu lugar chega o outono, cobrindo o chão com folhas secas, e o verde exuberante cede lugar ao cinza, nos seus braços encontro harmonia.
Isso se chama aconchego...
Quando você está longe, no espelho da saudade eu vejo refletida a certeza do reencontro.
Nas noites sem estrelas, quando a escuridão envolve tudo em seu manto negro, você me aponta a carruagem da madrugada, que vem despertar o dia com suas carícias de luz..
Isso se chama esperança.
Quando as marés dos problemas parecem tragar em suas ondas as minhas forças, em seus braços encontro reconforto.
Se as amarguras pairam sobre meus dias, trazendo desgosto e dor, sua presença me traz tranquilidade. Você é um raio de sol, nos dias escuros... É ave graciosa que enfeita a amplidão azul...
Você é alma e é coração. É poema e é canção... É ternura e dedicação... Nada impõe, tudo compreende, tudo perdoa... Sua companhia é doce melodia, é convite a viver.. E, tudo isso se chama amor!
Surge depois que as nuvens ilusórias da paixão se desvanecem. Que a alma se mostra nua, sem enfeites, sem fantasias, sem máscaras...
O amor é esse sentimento que brota todos os dias, como uma flor que explode de um botão ao mais sutil beijo do sol...
Isso, sim, se chama amor...

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados,
Para chorar e fazer chorar,
Para enterrar os nossos mortos -
Por isso temos braços longos para os adeuses,
Mãos para colher o que foi dado,
Dedos para cavar a terra.
Assim será a nossa vida;
Uma tarde sempre a esquecer,
Uma estrela a se apagar na treva,
Um caminho entre dois túmulos -
Por isso precisamos velar,
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.

Não há muito que dizer:
Uma canção sobre um berço,
Um verso, talvez, de amor,
Uma prece por quem se vai -
Mas que essa hora não esqueça
E que por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.

Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre,
Para a participação da poesia,
Para ver a face da morte -
De repente, nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte apenas
Nascemos, imensamente.

Senhor.
Desacelere as batidas do meu coração, acalmando minha mente. Diminua meu ritmo apressado com uma visão da eternidade do tempo.
Em meio às confusões do dia a dia, dê-me a tranquilidade das montanhas. Retire a tensão dos meus músculos e nervos com a música tranquilizante dos rios de águas constantes que vivem em minhas lembranças.
Ajude-me a conhecer o poder mágico e reparador do sono. Ensina-me a arte de tirar pequenas férias: reduzir o meu ritmo para contemplar uma flor, papear com um amigo, afagar uma criança, ler um poema, ouvir uma música preferida.
Acalme meu passo, Senhor, para que eu possa perceber no meio do incessante labor cotidiano dos ruídos, lutas, alegrias, cansaços ou desalentos, a Tua presença constante no meu coração.
Acalme meu passo, Senhor, para que eu possa entoar o cântico da esperança, sorrir para o meu próximo e calar-me para escutar a Tua voz.
Acalme meu passo, Senhor, e inspire-me a enterrar minhas raízes no solo dos valores duradouros da vida, para que eu possa crescer até as estrelas do meu destino maior.
Obrigado Senhor, pelo dia de hoje, pela família que me deste, pelo meu trabalho e sobretudo pela Tua presença em minha vida.
ASSIM SEJA...

Que mulher nunca teve:
Um sutiã meio furado,
Um tio meio tarado
ou um amigo meio veado?
Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um remédio pra dormir?
Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?
Que mulher nunca pensou
Em zunir uma panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?
Que mulher nunca penou
Pra ter a perna depilada,
Pra aturar uma empregada
Ou pra trabalhar menstruada?
Que mulher nunca acordou
Com um desconhecido ao lado,
Com o cabelo desgrenhado
Ou com o travesseiro babado?
Que mulher nunca comeu uma caixa de bombons, pela mais pura ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?
Que mulher nunca apertou
O pé no sapato pra caber,
A barriga pra emagrecer
Ou um ursinho pra não enlouquecer?
Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Ou que "dele" não lembra nem o nome?

Não tenha vergonha caso você se identifique com tudo, ou quase tudo!
Só mesmo as mulheres para entender o significado deste poema!

Quanto pode caber de mistério um cantinho de olho que contempla o horizonte num olhar sem rumo, ao léu que busca no céu a explicação para o tudo que não se vive que quer viver, mas não se vive, pela escolha incerta...
Quanto pode caber de sorriso, num cantinho de lábios, que pela angústia do momento faz-se febril, fazendo-se espera do beijo apaixonado, translúcido, inteiro!
Que quer fazer eterno, um único momento de amor!
Quanto pode caber de paixão, um cantinho de coração, que repleto do desejo insano, faz-se querência do ter mais! Que ilude a esperança numa fantasia lúdica, suave melodia que quer sofrer pelo amor do segundo, na metamorfose do tempo!
Quanto pode sofrer a alma do artista que espera a musa, que repleto de sonhos e de ilusões parte em sua conquista.
Que incansável faz dos seus versos trombetas que anunciam que quer ser feliz eternamente, mesmo que seja num só instante.
Quanto pode morrer e renascer este amor louco, insano! Que renuncia a tudo e a todos e se contorce dentro do templo, que como um plasma percorre todos os cantos do corpo, que acomoda-se no nada e manifesta-se no tudo, no poema!
Quanto pode ainda esperar a lua, que eternamente faz-se presente, testemunhando o ardor dos olhos do artista que a encarou na noite para poder ver à distância sua musa. Que fez-se consolo e permitiu-se amar como um totem idílico!

Quando o vento toca meu rosto
Sinto um pedacinho do teu cheiro
Momentos vividos, jamais esquecidos
Por um segundo pensei que o futuro era nosso
Descobrir que tudo era apenas um sonho
Mais o cheiro no vento?
Os sorrisos emocionantes?
As brigas sentidas?
Queria que tudo voltasse
Queria ter você aqui do meu lado
Escrevendo, mais não um poema triste
E sim uma grande história de amor.
Volta pra mim TE AMO!

Hoje eu me despeço, me despeço de ti.
Com o meu coração na mão,
por não ter sentido você pela última vez.
Eu quis um toque, desejei um abraço, e não obtive nada.
Nem ao menos uma ligação, ou um aperto de mão.

Hoje, me despeço de ti,
com uma sensação de mágoa dentro de mim,
que machuca e me destrói o coração.
Falta de atenção por alguém que um dia foi tua razão.

Me despeço de ti nesse poema,
que fiz com meu coração em pedaços.
com minha alma triste e com lágrimas em meus olhos.
Obrigado por me ferir mais uma vez.

Não queria me despedir assim,
mas foi a única maneira,
e a que você quis pra mim, pra ti e pra nós.

Me despeço sabendo que eu já não sou mais tão especial assim.

Fabian Stadler Normann

Se a brisa da manhã tocar o teu rosto e num gracejo fogoso fizer teus
cabelos brincar, saiba que é um carinho meu,
que sem querer dizer adeus, pedi ao vento para te entregar...

Se ao andar pelas matas sentir o cheiro da vida, de folhas secas e
molhadas, perfume de flores, pode ser jasmim ou qualquer coisa assim, é
ainda a minha mensagem que vai com o meu perfume, para você jamais esquecer
de mim...

Ao ouvir o barulho de água cristalina, limpa, pura, vai te lembrar minhas
loucuras tentando te conquistar.
Uma cachoeira encantada vai te lembrar
minha risada quando eu só existia para te amar...

E ao ouvir pássaros cantando, em alguns galhos namorando, recordará algumas
canções que a gente escutava baixinho, jogados em qualquer cantinho,
deixando a canção dizer o que havia em nossos corações...

Se uma gota de orvalho atrevida em tua face pingar e mais uma outra, ainda
insistente, cair, é apenas uma lágrima que escorregou, é essa imensa
saudade a me consumir...

E, ao cair da tarde, quando tudo for silêncio,
olhe para o horizonte, escuta quando a noite chegar.
A mesma estrela vai te dizer
que, mesmo que nunca mais te encontre, eu jamais vou te esquecer...

Chega de tanta injustiça de castigo e confusão! Vou pra casa da vovó, não tem outra solução!
Estou mesmo decidido e pra sempre eu me mudo. Aqui eu não posso nada e por lá eu posso tudo!
Posso comer chocolate, posso até me empanturrar. Posso comer sobremesa até antes do jantar.
Mesmo que eu faça bagunça, vovó não briga comigo. Se eu beliscar o irmãozinho, vovó não me põe de castigo!
Vou fazer a minha mala, meu carrinho eu vou levar. Vou levar o meu cachorro e o meu jogo de armar.
Vou levar meu travesseiro, levo também meu pião, pego os meus livros de história e o meu time de botão.
Levo as coisas que eu gosto, pra ter tudo sempre a mão: levo também o papai, a mamãe e o meu irmão!

Uma das práticas mais destrutivas dentro de um lar ou de uma empresa é a de ser desnecessariamente crítico.
Isto acontece quando nos colocamos na posição de juízes dos nossos familiares e colegas de trabalho.
A consequência natural são os comentários, muitas vezes injustos e cruéis, feitos na frente ou pelas costas.
Muito frequentemente nós somos como a pessoa que escreveu este poema anônimo falando de si mesma: Faltas nos outros eu posso ver Mas graças a Deus, não há nenhuma no meu ser.
Eu gosto da história de um homem que tinha o vício de criticar.
Uma tarde, enquanto esperava o ônibus, ele ficou na frente de uma loja de animais empalhados. No centro da vitrine tinha uma coruja grande que atraía a atenção de todos os que passavam por ali. O crítico começou a criticar o trabalho do empalhador: - Se eu não conseguisse fazer algo melhor do que essa coruja, ele disse para o grupo ali reunido, eu procuraria outro emprego. Veja só como a cabeça não está proporcional ao corpo, a pose do corpo não é natural e o pé está apontando na direção errada.
Quando ele acabou de dizer isto a coruja virou a cabeça na sua direção e piscou para ele.
Os que estavam ali começaram a rir enquanto o crítico saía correndo.

Posso parecer louco, exagerado, fora do contexto, mas a razão é não conseguir deixar de pensar em ti. Por que fiz isso? Porque te amo! Por isso agora te digo que por ti suspiro, anseio e desejo. Deito-me a pensar em ti e acordo a sonhar contigo. Sei que não sou perfeito, mas quem o é? Sei que não sou o teu ideal de homem, mas será que ele existe? Sei que procura alguém especial, mas nem tu sabes o que procura.
Quando te vejo triste sofro contigo mesmo sem saber o porquê, quando te vejo alegre sinto-me contente mesmo que não tenha razão para isso. Quero te ajudar a realizar os teus sonhos, pois os meus és tu. Onde existe amor nada pode impedir a felicidade, pois esta é poder amar e ser amado.
Por você espero, seja um mês ou um ano, pois no amor o que mais há é paciência, esperança e teimosia.
Eu te amo do fundo do meu coração, e podes não me querer, não me amar, mas enquanto eu sentir isto não vou desesperar ou desistir. Não me basta saber que sou amado, nem só desejo o teu amor. Desejo ter sua companhia, ter na boca a doçura de teu beijo.

Não só hoje, mas todos os dias Penso em ti com muito carinho Ao ver-me forte cheio de vida Devo a ti que me guiaste.
Deu-me a vida Ensinou-me a vivê-la Dos problemas resolvê-los Dos medos me deste as mãos Fazendo calmo meu coração.
Muitas vezes Não só mãe foste pra mim Pai, amigo, irmão, companheira das brincadeiras.
Sempre davas um jeitinho De poder me acompanhar. Segurou as minhas mãos Me mostrando o caminho a seguir
Hoje sei como sofreste Quando enfim soltou-me as mãos Para que eu seguisse em frente.
Hoje sei Que aplaude meus sucessos Se entristece com meu pranto Sei também que sempre estás De braços abertos a me esperar.
Quero hoje minha mãe Te dizer de coração Peço a Deus que te abençoe Sempre em minha oração
E te abraço hoje e sempre Com muito amor e gratidão.
Feliz Dia das Mães!

Vocês são o mais puro dos
sentimentos, a mais bela
das vaidades, a infinita dor
inexistente e o amor e toda
paixão e toda verdade que
vive no meu coração.

Vocês são a melhor parte que
existe em mim, a porção mais
rica, o pedaço mais poderoso
e a angústia invisível e todas
as amarguras irrelevantes ou
pouco constantes ou nulas até.

Filhos são assim, ímpares ou
pares desfeitos e jamais unidos
ou corpos distantes de cores
mágicas e sempre presentes na
tela da memória, na obra do que
é valioso e só na arte de amar.

As pessoas esperam que as coisas aconteçam na vida delas, como um acaso... como um descuido... Mal elas sabem que tudo já é como uma poesia escrita, embora indefinida, para que nós autores, nos encarreguemos de dar ao poema, trilha sonora, uma frase... um sentimento que aconteça em outra hora... As pessoas esperam para que os sentimentos sejam concretizados, mas esquecem que para isso ou aquilo, o necessário é que de principio haja um elo muito forte, no laço da amizade...
Você... você já sentiu como se tivesse vivido algo a muito tempo, conhecidos pessoas e lugares diferentes? Afinidades... gostos e sentimentos... embora não concretos, mas que deixam vagar em seus pensamentos? Assim simples assim... é que as coisas acontecem... gostos, momentos vividos... o tal do alicerce...
Quando estamos caminhando, pensando estarmos certos de nossas vidas, tudo muda... alias nada muda, são exatamente do seu jeito... apenas somos os autores da poesia... de uma certa forma gostamos do que ouvimos, e vemos... do que sentimos... das afinidades...
Você... você é assim... quando falo com você tudo parece ser de uma forma fácil.
Acho que quando as pessoas olham para você, elas querem levar alegria, aonde só existe tristeza... elas querem amor incondicional, para afetar a quem jamais conheceu o amor... elas querem ouvir o barulhos dos pássaros...
Porque nunca tiveram tempo para prestar atenção nessa melodia... e sabe porque elas querem isso... Porque quando falam com você... elas podem ver a transparência de sua alma, a magia do seu coração, a pureza da sua intuição...
Você é um ser especial, e felizes são as pessoas que estão ao seu redor, porque sabem que o tempo é algo indispensável, quando conhecem você e sabe que a afinidade e o momento valem mias que anos, meses... tempo.

Dia da Enfermeira

Logo ao amanhecer, começam a se movimentar, na luta contra a dor para a vida do seu semelhante salvar.

Chamadas a todos os cantos, a todos atende com muito amor, as vezes mal compreendidas, sem o semelhante reconhecer seu valor.

As vezes até nem é culpada, de demorar a atender, esquecemos que esteve ocupada, com outro caso grave para resolver.

Com suas fardas brancas e lindas, estão atentas à toda hora, para trazer o bálsamo que cura, como um anjo de nossa senhora.

Todos os doentes curados, saem alegres, por voltarem ao lar, elogiam sempre os médicos, mas esquecem das enfermeiras elogiar.

A elas devemos tributar, grande parte da nossa gratidão, pois contribuíram como puderam, para nossa recuperação.

Esse poema foi escrito por um major da PM em 13-11-1982 enquanto estava internado num determinado hospital.

Autor Major Antenor

Não posso dar-te soluções para todos os problemas da vida nem tenho resposta para as tuas duvidas ou medos, mas posso escutar-te e compartilhá-las contigo... Não posso mudar o teu passado e futuro mas quando precisares de mim, estarei junto a ti
Não posso evitar que tropeces só posso oferecer-te a minha mão para que te apoies e não caias. Tuas alegrias, triunfos e êxitos não são meus, mas desfruto sinceramente quando te vejo feliz
Não julgo as decisões que tomas na vida, limito-me a apoiar-te, a estimular-te e a ajudar-te, se me pedes. Não posso traçar-te limites dentro dos quais deves agir, mas sim oferecer-te esse espaço, necessário para crescer
Não posso evitar teu sofrimento quando alguma pena te parte o coração mas posso chorar contigo e recolher os pedaços para amar novamente
Não posso decidir quem és, nem quem deverias ser só posso amar-te como és e ser teu amigo. Nestes dias pensei nos meus amigos e amigas não estavas nem acima nem abaixo da média. Não começavas nem acabavas a lista não eras o primeiro nem o último (...)
E tão pouco tenho a pretensão de ser o primeiro, o segundo ou o terceiro da tua lista. Basta que me queiras como amigo... Obrigado por o ser.

Ter asas é dançar na chuva... É plantar uma árvore... Ver a inocência nos olhos de uma criança. É ficar bem quietinho ao lado da pessoa amada... É subir uma montanha... É encontrar os amigos e não falar nada importante, mas falar, falar muito... É cantarolar uma música antiga... É arrumar as gavetas, e dar um monte de roupa para quem precisa... É andar sem rumo, só por andar... É falar sozinho... É sorrir para aquele velhinho lá da praça... É ficar sentado na cozinha, assistindo a mãe fazer bolo. Ah! Ter asas é raspar a panela de brigadeiro com os dedos... É brincar... É rir de si mesmo... É ter um lugar secreto bem lindo e fugir para lá de vez em quando... E ficar de bobeira... É tomar um banho de cachoeira, nadar em um rio... Ir para a praia, se cobrir de areia e pegar jacaré... Ter asas é viver intensamente as coisas simples e belas do dia a dia... Ter asas é ficar em silêncio e ouvir dentro da gente, o Deus Emanuel.
É isso que desejo para o Ano Novo que está chegando... Que você tenha asas como das águias! Que a lua e as estrelas emprestem um pouco do seu brilho, para iluminar o novo ano, e que deus nos dê "asas de águia" para voarmos bem alto na construção de um mundo melhor.

Quero um bosque de Eucaliptos
Perfumando a brisa
Forrando tudo com folhagem macia
Um pomar e um riacho
Uma rede estendida
Para poder,
Ao sussurro das árvores,
Ao canto das águas,
Com o aroma da natureza,
Escrever um POEMA DE AMOR !

Mulheres fracas, fortes. Não importa. Mulheres mostram que mesmo através da fragilidade são fortes o bastante para erguerem sempre a cabeça sem desistir, pois sabemos que somos capazes de vencer.
Temos a delicadeza das flores, a força de ser mãe, o carinho de ser esposa, a reciprocidade de ser amiga, a paixão de ser amante e o amor por ser mulher!
Somos fêmeas guerreiras, vencedoras. Somos sempre o tema de um poema. Distribuímos paixão, meiguice, força, carinho, amor.
Somos um pouco de tudo. Calmas, agitadas, lentas! Vaidosas, charmosas, turbulentas.
Mulheres fortes e lutadoras. Mulheres conquistadoras que amam e querem ser amadas. Elegantes e repletas de inteligência.
Com paciência o mundo soube conquistar. Mulheres duras, fracas. Mulheres de todas as raças. Mulheres guerreiras. Mulheres sem fronteiras. Mulheres... Mulheres...

Tudo está consumado e já vai passando...
é agora uma passagem branda,
pacífica e sem tumultos...
é uma travessia amena, serena e sem insultos,
para que nossas retinas registrem e guardem
apenas a doce lembrança de nossos iluminados
e risonhos vultos, na hora do nosso único
e supremo "culto"
... você nos meus braços - meu menino -
e eu nos teus braços - tua menina.

Ao longo dos meses fomos assolados
por tempestades revoltas, circunstâncias adversas...
fomos pegos de surpresa pelo vendaval
das nossas imperfeições e nosso amor,
qual pequena muda que lograra crescer
e ganhar altura, rendeu-se com espanto
à noite escura de nossas diferenças,
omissões, hostilidades confessas ou camufladas.

Eu sigo agora, carregando uma alma vazia.
Tu segues pleno de ti mesmo, alimentado
da adoração incomparável de poetisas solitárias,
teresas e marias tantas...
Eu sigo carregando um legado estranho,
que me chegou com todos os aparatos da tecnologia...
um cartão e um poema que eu não
inspirei e nem suscitei em ti...
um cartão de rara beleza, maquiado com destreza
por uma outra maria, onde se lê a apologia
do imenso amor que tão bem sabes cultivar... por ti !

Parabéns pela gravidez, mamãe!

Mulher,
Já vive bem lá no teu íntimo
a semente vital, fruto do amor
que em breve vai mamar em teu peito
e pedirá teu carinho na hora da dor.
Já mexe no teu âmago materno,
chutando-lhe o ventre com energia,
uma vida, um ser que já te conhece
e assim que nascer te trará alegria.

Mulher,
já sente energia, amor e carinho,
o broto gerado em tuas raízes
que ouvirá tuas canções de ninar,
tua maior esperança de dias felizes.
Já está chegando quem tanto desejas
para ser embalado com amor maternal;
E brinca, pula, corre, grita...
quem faz de tua barriga um quintal.

Mulher,
Prepara-te para o momento sublime!
Vive dentro de ti uma criança
que está ansiosa para nascer, viver...
e te chamar carinhosamente de mamãe.