Homem - Mensagens

Uma conversa muito interessante entre Deus e o Homem. Leia e não deixe de compartilhar com seus amigos.

Homem: Deus posso te fazer uma pergunta?

Deus: Claro

Homem: Promete que não vai ficar bravo comigo?

Deus: Prometo!

Homem: Porque você fez tanta coisa me acontecer hoje?

Deus: Como assim?

Homem: Bem, hoje eu acordei atrasado

Deus: Sim...

Homem: Meu carro demorou uma eternidade pra ligar

Deus: Ok...

Homem: Na hora do almoço eu pedi um lanche, veio errado e eu tive que esperar por outro um tempão

Deus: Ahan...

Homem: No caminho de volta pra casa que ia atender uma ligação e meu celular MORREU!

Deus: Certo...

Homem: Não bastava tudo isso me acontecer, quando cheguei em casa, eu só queria por meus pés de molho na minha bacia de massagem e relaxar!! Mas isto não aconteceu!! Alias NADA deu certo hoje pra mim!!!
Por que você fez isso?????

Deus: Ok vou te falar... Sabe filho, hoje de manhã o anjo da morte estava rodeando a sua cama, mas eu enviei um dos meus anjos para lutar com ele a favor de sua vida! Eu apenas deixei você dormir enquanto tudo isso acontecia...

Homem: OH!!!
Deus: Eu não deixei o seu carro ligar rapidamente esta manhã porque havia um motorista bêbado na rota que você trafega diariamente para o trabalho e ele iria bater no seu carro.

Homem: "sem reação"

Deus: Na hora do almoço, a primeira pessoa que fez o seu sanduíche estava doente e eu não queria que você se contaminasse com nenhuma virose. Ainda mais sabendo que você não esta podendo se dar o luxo de faltar do trabalho.

Homem: "envergonhado"

Deus: Seu celular morreu porque a pessoa que te ligou ia dizer coisas falsas sobre você a respeito do que você ia contar a ela naquela ligação. Então eu nem deixei que você atendesse.

Homem: Ooh... Eu posso entender Senhor...

Deus: Ah e a sua bacia de massagem está com um problema que se ligasse iria causar um curto circuito na energia da sua casa hoje a noite. Eu pensei que você não gostaria de ficar no escuro.

Homem: Ooh me desculpe Senhor...

Deus: Não precisa se desculpar filho, apenas aprenda a confiar em mim em todas as situações boas e ruins. E não duvide que meus planos são sempre melhores do que os seus.

Homem: Eu prometo que não irei me esquecer disso. Obrigado por tudo o que o Senhor fez por mim hoje.

Deus: De nada filho. Este foi apenas mais um dia que te provei que sou o seu Deus que ama cuidar de ti.
Por que sentimos sono quando estamos fazendo nossas obrigações, mas conseguimos nos manter acordados vendo um filme de 3 horas?
Por que achamos tão comum ignorar mensagens de Deus, mas rapidamente repassamos mensagens de zoeira?

Por que é tão fácil se tornar fã e seguir celebridades nas redes sociais, mas é tão difícil assumir um compromisso com Deus...

O Homem é a mais elevada das criaturas, a Mulher é o mais sublime dos ideais!

Deus fez para o Homem um trono, para a Mulher, um altar. O trono exalta, o altar santifica!

O Homem é o cérebro, a Mulher, o coração. O cérebro produz a luz; o coração, amor. A luz fecunda; o amor ressuscita!

O Homem é o gênio, a Mulher é o anjo... O gênio é imensurável; o anjo, indefinível!...

A aspiração do Homem é suprema glória; a aspiração da Mulher, a virtude suprema... A glória traduz grandeza, a virtude traduz divindade!...

O Homem tem a supremacia; a Mulher, a preferência... A supremacia representa a força, a preferência representa o direito!...

O Homem é forte pela razão; a mulher é invencível pela lágrima... A razão convence, a lágrima comove!...

O Homem é capaz de todos os heroísmos; a Mulher, de todos os martírios... O heroísmo enobrece; o martírio sublima!...

O Homem é o código; a Mulher, o evangelho... O código corrige; o evangelho aperfeiçoa!...

O Homem é o templo; a Mulher, um sacrário... Ante o templo, nos descobrimos; ante o sacrário, ajoelhamo-nos!...

O Homem pensa, a Mulher sonha... Pensar é ter cérebro; sonhar é ter na frente uma auréola!...

O Homem é um oceano; a mulher, um lago... O oceano tem a pérola que o embeleza, o lago tem a poesia que o deslumbra!...

O Homem é a águia que voa; a Mulher, o rouxinol que canta... Voar é dominar o espaço, cantar é conquistar a alma!...

O Homem tem um farol: a experiência; a Mulher tem uma estrela, a esperança... O farol guia, a esperança salva!...

Enfim, o Homem está colocado onde termina a Terra; a mulher, onde começa o Céu!...

Homem tem medo de mulher independente! Pior ainda: Homem tem medo de mulher que BOMBA!
Aí que o cara conhece uma gata, linda e com estilo nada convencional de se vestir, bebe tanto quanto ele.
Se ele não quiser sair, ela sai só com as amigas, topa qualquer saída?
Não tem tempo ruim, banca suas coisas.
Se tiver meio sem grana, se diverte como dá.
Se tiver bem de dinheiro, pode até pagar pras amigas.
Conversa com todo mundo, conhece muita gente.
Falando assim, parece bem divertido ficar com uma mulher dessa? E é!
O PROBLEMA É QUE GRANDE PARTE DOS HOMENS NÃO SEGURA A ONDA DE UMA MULHER PAU-A-PAU COM ELES, aí eles namoram a Sandy, a Sandy é fácil de namorar.
Ela sai, mas não dança até o chão, ela não bebe. Nada de decotes ou mini saias.
Se o namorado não quiser, ela não sai.
Ficam em casa, assistindo comédias românticas? Mas quer saber?
Mulher que bomba dispensa homem sem coragem!
Mulher de verdade assusta!
Uma grande mulher não precisa de homem para se destacar, mas para ser um grande homem com certeza precisa-se de uma GRANDE MULHER?

Diego Andrade

Há mulheres de todos os gêneros: histéricas, batalhadoras, frescas, profissionais, chatas, inteligentes, gostosas, parasitas, sensacionais.
Mulheres de origens diversas, de idades várias, mulheres de posses ou de grana curta.
Mulheres de tudo quanto é jeito.
Mas, se eu fosse homem prestaria atenção apenas num quesito: se a mulher é do tipo que puxa pra cima ou se é do tipo que empurra pra baixo.

Dizem que por trás de todo grande homem existe uma grande mulher!
Meia-verdade. Ele pode ser grande estando sozinho também.
Mas, com uma mulher xarope ele não vai chegar a lugar algum.

Mulher que puxa pra cima é mulher que aposta nas decisões do cara, que não fica telefonando para o escritório toda hora, que tem a profissão dela, que o apoia quando ele diz que vai pedir demissão por questões éticas e que confia que vai dar tudo certo.

Mulher que empurra pra baixo é a que põe minhoca na cabeça dele, a que tem acessos de carência bem na hora que ele tem que entrar numa reunião, a que não avaliza nenhuma mudança que ele propõe, a que quer manter tudo como está.

Mulher que puxa pra cima é a que dá uns toques na hora de ele se vestir, a que não perturba com questões menores, a que incentiva o marido a procurar os amigos, a que separa matérias de revista que possam interessá-lo, a que indica livros, a que faz amor com vontade.

Mulher que empurra pra baixo é a que reclama do salário dele, a que não acredita que ele tenha taco pra assumir uma promoção, a que acha que viajar é despesa e não investimento, a que tem ciúmes da secretária.

Mulher que puxa pra cima é a que dá conselhos e não palpite, a que acompanha nas festas e nas roubadas, a que tem bom humor.

Mulher que empurra pra baixo é a que debocha dos defeitos dele em rodinhas de amigos e que não acredita que ele vá mais longe do que já foi.

Se por trás de todo grande homem, existe uma grande mulher, então vale o inverso também: por trás de um pequeno homem, talvez exista uma mulherzinha de nada.

Outrora, o homem tinha o seu pequeno reino - talvez pobre - onde era senhor.
Crescia por dentro, dono de ser quem era, domando uma terra que lhe resistia, amparando-se em quem tinha ao lado, forjando laços, acariciando cordeiros e oliveiras, ouvindo Deus no vento, aquecendo-se ao fogo do lar.
E fazia canções e danças. E eram cheios de sentido as festas e os Domingos e as palavras.
O homem não é agora de lugar nenhum. Não tem ligação à terra.
Não vive com os outros. Cria e quebra laços com a facilidade resultante de esses laços não terem chegado a ser exatamente laços, por lhes faltar conteúdo. É superficial em tudo. Corre...

Ainda me lembro bem daquela quinta-feira
Cinco malandros em volta da fogueira
Ouvi o grito de dor de um homem que falava a verdade
mas ninguém se importava
Botando pra fora tudo o que sentiu na pele
Mas ninguém lhe dava ouvidos não

Deixou a marca da fogueira que acendeu pra se livrar do frio que mata
Miséria impune, notável, sincera não acaba nunca

Parecia inofensiva mas te dominou, te dominou, te dominou, dominou

Difícil é desviar de quem tá sempre querendo
ela mantém a porta aberta ela te faz de instrumento,
vai te dominar, se já não dominou

Ouvi o grito de dor de um homem que falava a verdade
mas ninguém se importava
Botando pra fora tudo o que sentiu na pele
Mas ninguém lhe dava ouvidos não

Deixou a marca da fogueira que acendeu pra se livrar do frio que mata
Miséria impune, notável, sincera não acaba nunca

Parecia inofensiva mas te dominou, te dominou, te dominou, dominou

Charlie Brown Jr.

A sombra e a luz separam esses dois mundos, de encanto, carinho, desejos recíprocos e espera. Por isso a mulher atleta soube, sabe ter paciência para vencer o preconceito, mostrar que a força tem tantos sentidos quanto a compreensão perdida. Não apenas músculos, mas vontade, intuição, disciplina.

Ser forte não se opõe a ser sensível. A coragem de levar no corpo outra vida, e ainda assim viver desafios seus. Ser mulher é uma permissão momentânea de repetir Deus e recriar a existência. E na própria vida ser exemplo diário de perseverança. Por isso, olhar assim a mistura destes gestos tem tantos significados que eles parecem recriar mistérios anteriores. Mistérios do útero que oferece à humanidade a chance de continuar. Porque os homens são guerreiros momentâneos que elas mesmas criam. Elas, mulheres, para quem a vida é uma luta contínua.

Ao homem, cabe uma luta menor, que termina dentro das arenas com medalhas ou desilusão. A mulher não se permite a sensação da derrota. Lágrimas sim, porque assim podem ensinar ao mundo que nenhuma dor será maior que a sua. Uma dor que acaba em choro e alegria. Uma dor que tira da sombra a luz que se anuncia. Por isso qualquer derrota para ela é passageira. E a vitória, a eterna bênção que o mundo tem orgulho de aplaudir.

É melhor você ter uma mulher engraçada do que linda, que sempre te acompanha nas festas, adora uma cerveja, gosta de futebol, prefere andar de chinelo e vestidinho, ou então calça jeans desbotada e camiseta básica, faz academia quando dá, come carne, é simpática, não liga pra grana, só quer uma vida tranquila e saudável, é desencanada e adora dar risada.
Do que ter uma mulher perfeitinha, que não curte nada, se veste feito um manequim de vitrine, nunca toma porre e só sabe contar até quinze, que é até onde chega a sequência de bíceps e tríceps.
Legal mesmo é mulher de verdade. E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa.
Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira. Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas e daí?
Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução. Mas ainda não criaram um remédio pra futilidade!
E não se esqueça... Mulher bonita demais e melancia grande, ninguém come sozinho!

Deus fez para o homem um trono. Para a mulher um altar. O trono exalta. o altar santifica.
O homem é o cérebro. a mulher o coração. O cérebro produz luz. o coração o amor. A luz fecunda. O amor ressuscita.
O homem é um gênio. a mulher um anjo. O gênio é imensurável. o anjo indefinível.
A aspiração do homem é a suprema glória. a aspiração da mulher a virtude extrema. A glória traduz grandeza. a virtude traduz divindade.
O homem tem a supremacia. a mulher a preferência. A supremacia representa força. a preferência o direito.
O homem é forte pela razão. a mulher invencível pela lágrima. A razão convence. a lágrima comove. O homem é capaz de todos os heroísmos. a mulher de todos os martírios.
O heroísmo enobrece. o martírio sublima. O homem é o código. a mulher o evangelho. O código corrige. o evangelho aperfeiçoa.
O homem é um templo. a mulher um sacrário. Ante o templo, nós nos descobrimos. ante o sacrário, ajoelhamo-nos.
O homem pensa. a mulher sonha. Pensar é ter cérebro. sonhar é ter na fronte uma auréola.
O homem é um oceano. a mulher um lago. O oceano tem pérola que o embeleza. o lago tem a poesia que o deslumbra.
O homem é uma águia que voa. a mulher um rouxinol que canta. Voar é dominar os espaços. cantar é conquistar a alma.
O homem tem um farol: a consciência. A mulher tem uma estrela: a esperança. O farol guia e a esperança salva.
Enfim, O homem está colocado onde termina a terra. A mulher onde começa o céu...

Um homem sussurrou: Deus fale comigo.
E um rouxinol começou a cantar
Mas o homem não ouviu.

Então o homem repetiu:
Deus fale comigo!
E um trovão ecoou nos céus
Mas o homem foi incapaz de ouvir.

O Homem olhou em volta e disse:
Deus deixe-me vê-lo
E uma estrela brilhou no céu
Mas o homem não a notou.

O homem começou a gritar:
Deus mostre-me um milagre
E uma criança nasceu
Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.

Então o homem começou a chorar e a se desesperar:
Deus toque-me e deixe-me sentir que você está aqui comigo...
E uma borboleta pousou suavemente
Em seu ombro
O homem espantou a borboleta com a mão e desiludido
Continuou o seu caminho triste, sozinho e com medo.
Até quando teremos que sofrer para compreendermos
que Deus está sempre aonde está a vida?

Até quando manteremos nossos olhos e nossos
corações fechados para o milagre da vida que se apresentas
diante de nós em todos os momentos?

O homem aproximou-se do espinheiro. Ergueu a mão para tocá-lo e um "ai!" de dor brotou de seus lábios.
Um rubi de sangue brilhou no seu dedo. O homem limpou o sangue e disse fitando o espinheiro: – Eu te perdoo!
Admirei e louvei dentro de mim aquele homem que possuía o doce dom de perdoar.
E aconteceu que veio outro homem. Parou junto ao espinheiro, ergueu a mão para tocá-lo, e o espinho o picou. Mas o homem limpou em silêncio a ferida, contemplou com amor o espinheiro, e não disse: – Eu te perdoo!
Tive, então, este pensamento: – O primeiro homem era um santo: sabia perdoar!
Este outro não sabe! Mas o meu Senhor, interrompendo a minha cisma, disse: – Quem não sabe é você! – Como, Senhor? Então o primeiro homem... – Sim, é um santo, porque perdoou quando foi preciso! – E o segundo? – É mais santo ainda, porque não tem necessidade de perdoar.
E como eu ficasse perplexo, com o olhar perdido na incompreensão e na dúvida, o Senhor me disse: – O espinheiro fere, porque é espinheiro. Ainda que ele quisesse jamais poderia perfumar.
O primeiro homem sentiu a dor da picada, e como não sabia nada, atribuiu a culpa ao espinheiro. Mas, como era puro de coração, perdoou.
O outro homem sentiu a mesma dor, mas como sabia que todo espinheiro fere, pois o espinheiro é assim, não se sentiu ofendido. E como nada tinha a perdoar, não perdoou.
Desde então sofro menos quando os espinhos me ferem. Dói-me na alma a ferida, mas minha alma sabe que não há ofensa. E como não há ofensa, não há perdão.
É assim que do meu peito brota um piedoso amor pelo espinho que não chegou a ser flor. Meu sofrimento se transforma em ternura porque já aprendi a não perdoar!

Hasan de Basra relata: Eu havia me convencido de que eu era um homem de humildade e mais do que humilde em meus pensamentos e na minha conduta com os outros.
Então, um dia, parado à margem de um rio, vi um homem sentado. A seu lado havia uma mulher e, na frente deles, um cantil de vinho.
Pensei: - Se pelo menos eu pudesse transformar esse homem e fazê-lo como eu sou, em lugar da criatura degenerada que ele é!
Nesse momento, vi um barco no rio, começando a afundar. O homem imediatamente atirou-se na água, onde sete pessoas se debatiam, e trouxe seis delas, salvas, para a margem.
Depois, o homem veio a mim e disse: - Hasan, se você é um homem melhor do que eu, em nome de Deus, salve aquele homem, o último que resta.
Descobri, então, que não podia nem salvar um homem, e ele se afogou.
E o homem me disse: - Esta mulher aqui é minha mãe. Este cantil de vinho contém apenas água. É assim que você julga, é assim que você é.
Joguei-me aos seus pés e implorei: - Assim como você salvou seis desses sete homens em perigo, salve-me de me afogar no orgulho disfarçado de mérito!
O estranho me disse: - Rezo para que Deus realize seu objetivo.
Quem é realmente humilde nem cogita em sê-lo, não julga o outro, mas trabalha verdadeiramente para seu aprimoramento.

Cadê você, homem, o que foi feito de ti? Era meu amigo, leal companheiro e confidente Com quem eu conversava de forma transparente Sem reservas e tão cheia de confiança...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? Você que me fez de novo ser criança Levando-me de volta à longínqua infância Suscitando o extravasar do meu "porão"...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? Que soube sondar como ninguém meu coração Que ocupou espaços vazios e me fez plena Que me refletiu e fez a vida valer a pena...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? Que era todo o meu entusiasmo e inspiração Que fez nascer rascunhos em verso e prosa Que soube despertar a mulher amorosa...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? Que sempre, sempre se importou comigo Que nunca me negou o ombro amigo Na hora dos meus impasses, dúvidas, aflição...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? A quem, do Sousa, eu enviava um hino E na troca, da Amália, eu recebia um fado Em doces permutas, tão do nosso agrado...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? De cuja amizade eu tanto me orgulhava Pelo seu modo de ser que eu tanto adorava E como joia rara, no peito eu te guardava...
Cadê você, homem, o que foi feito de ti? Que silenciou de repente qual se tivesse morrido Ou será que fui eu que morri (em ti) sem ter percebido Procurando-te em vão, entre lágrimas e gemidos...
Mas, homem, noto agora que já estou meio morta Apesar do derradeiro rascunho, você já não me importa Porque na verdade, você nunca existiu Foi tudo engodo, miragem, alucinação Porque amigos verdadeiros não nos deixam na mão E mesmo que tenham que ir embora Pelos ditames do destino e pelo apelo da hora, Avisam-nos da partida, deixando uma doce saudação...

Quem faz jus ao título de "grande homem"? Não sei...
O homem inteligente? Não basta ter inteligência para ser grande... O homem poderoso? Há também poderosos mesquinhos...
Não basta qualquer forma de religião. Podem todos esses homens possuir muita inteligência, muito poder, e certo espírito religioso – e nem por isso ser grandes homens. Pode ser que lhes falte certo vigor e largueza, certa profundidade e plenitude, indispensáveis à verdadeira grandeza.
Podem os inteligentes, os poderosos, os virtuosos não ter a necessária liberdade de espírito... Pode ser que as suas boas qualidades não corram com essa vasta e leve espontaneidade que caracteriza todas as coisas grandes.
Pode ser que a sua perfeição venha mesclada com um quê de acanhado e tímido, com algo de teatral e violento. O grande homem é silenciosamente bom... É genial, mas não exibe gênio... É poderoso, mas não ostenta poder... Socorre a todos, sem precipitação... É puro, mas não vocifera contra os impuros...
Adora o que é sagrado, mas sem fanatismo... Carrega fardos pesados, com leveza e sem gemido... Domina, mas sem insolência... É humilde, mas sem servilismo... Fala às grandes distâncias, mas sem gritar... Ama, sem se oferecer... Faz bem a todos, antes que se perceba...
O grande homem "Não quebra cana fendida, nem apaga a mecha fumegante, nem se ouve o seu clamor nas ruas..." Rasga caminhos novos sem esmagar ninguém... Abre largos espaços, sem arrombar portas... Entra no coração humano, sem se saber como...
Tudo isto faz o grande homem, porque é como o sol, esse astro assaz poderoso para sustentar um sistema planetário, e assaz delicado para beijar uma pétala de flor... Assim é, e assim age o homem verdadeiramente grande — porque é instrumento nas mãos de Deus...
Desse Deus de infinita potência e de supremo amor... Desse Deus, cuja força governa a imensidade do cosmos — e cuja paciência tolera as fraquezas do homem...
O grande homem é, mais do que ninguém, imagem e semelhança de Deus.

Se o homem pensasse como o pássaro... festejaria cada amanhecer com uma linda canção. Se o homem pensasse como o cavalo... ultrapassaria os obstáculos com classe, firmeza e determinação.
Se o homem pensasse como o cão... faria do amor uma constante troca de carinho, lealdade e fidelidade. Se o homem pensasse como o gato... teria calma e equilíbrio em qualquer dificuldade.
Se o homem pensasse como a abelha... constataria que nada se constrói sozinho. Se o homem pensasse como a formiga... veria que trabalho e sucesso trilham o mesmo caminho.
Se o homem pensasse como a baleia... veria a importância do poder da solidariedade.
Se o homem tivesse a pureza e a simplicidade de ser, dos animais... a paz mundial deixaria de ser um sonho e seria uma realidade.

Depois de um dia de caminhada pela mata, mestre e discípulo retornavam ao casebre, seguindo por uma longa estrada. Ao passarem próximo a uma moita de samambaia, ouviram um gemido. Verificaram e descobriram, caído, um homem. Estava pálido e com uma grande mancha de sangue, próximo ao coração.
O homem tinha sido ferido e já estava próximo da inconsciência. Com muita dificuldade, mestre e discípulo carregaram o homem para o casebre rústico, onde trataram do ferimento.
Uma semana depois, já restabelecido, o homem contou que havia sido assaltado e que ao reagir fora ferido por uma faca. Disse que conhecia seu agressor e que não descansaria enquanto não se vingasse.
Disposto a partir, o homem disse ao sábio: - Senhor, muito lhe agradeço por ter salvo minha vida. Tenho que partir e levo comigo a gratidão por sua bondade. Vou ao encontro daquele que me atacou e vou fazer com que ele sinta a mesma dor que senti.
O mestre olhou fixo para o homem e disse: - Vá e faça o que deseja. Entretanto, devo informá-lo de que você me deve três mil moedas de ouro, como pagamento pelo tratamento que lhe fiz.
O homem ficou assustado e disse: - Senhor, é muito dinheiro. Sou um trabalhador e não tenho como lhe pagar esse valor!
- Se não podes pagar pelo bem que recebestes, com que direito queres cobrar o mal que lhe fizeram?
O homem ficou confuso e o mestre concluiu: - Antes de cobrar alguma coisa, procure saber quanto você deve. Não faça cobrança pelas coisas ruins que te aconteçam nessa vida, pois essa vida pode lhe cobrar tudo que você deve. E com certeza você vai pagar muito mais caro.

O cara faz um esforço danado para ficar rico pra quê?
O sujeito quer ficar famoso pra quê?
O indivíduo malha, faz exercícios pra quê?
A verdade é que é a mulher o objetivo do homem.
Tudo que eu quis dizer é que o homem vive em função da mulher.
Vivem e pensam em mulher o dia inteiro, a vida inteira.
Se a mulher não existisse, o mundo não teria ido pra frente.
Homem algum iria fazer alguma coisa na vida para impressionar outro homem, para conquistar sujeito igual a ele, de bigode e tudo.
Um mundo só de homens seria o grande erro da criação.
Já dizia a velha frase que 'atrás de todo homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.
O dito está envelhecido. Hoje eu diria que 'na frente de todo
Homem bem-sucedido existe uma grande mulher'.

É você, mulher, quem impulsiona o mundo.
É você quem tem o poder, e não o homem
É você quem decide a compra do apartamento, a cor do carro, o filme a ser visto, o local das férias.

E, se você que está ouvindo isto aqui for um homem, tente imaginar a sua vida sem nenhuma mulher.
Aí na sua casa, onde você trabalha, na rua. Só homens.
Já pensou?
Um casamento sem noiva?

Um homem jamais pode entender o tipo de solidão que uma mulher experimenta.

Um homem se deita sobre o útero da mulher apenas para se fortalecer, ele se nutre desta fusão, se ergue e vai ao mundo, a seu trabalho, a sua batalha, sua arte.

Ele não é solitário. Ele é ocupado. A memória de nadar no líquido aminótico lhe dá energia, completude. A mulher pode ser ocupada também, mas ela se sente vazia.

Sensualidade para ela não é apenas uma onda de prazer em que ela se banhou, uma carga elétrica de prazer no contato com outra.

Quando o homem se deita sobre o útero dela, ela é preenchida, cada ato de amor, ter o homem dentro dela, um ato de nascer e renascer, carregar uma criança e carregar um homem.

Toda vez que o homem deita em seu útero se renova no desejo de agir, de ser. Mas para uma mulher, o clímax não é o nascimento, mas o momento em que o homem descansa dentro dela.

Conta uma antiga lenda que, na Idade Média, um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. Na verdade, o autor era pessoa influente do reino e, por isso, desde o primeiro momento procurou-se um "bode expiatório" para acobertar o verdadeiro assassino. O homem foi levado a julgamento e o resultado foi a forca.
Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história. O juiz, que também estava combinado para levar o pobre à morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado que provasse sua inocência.
Disse o juiz: -Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor. vou escrever em um pedaço de papel palavra INOCENTE e noutro pedaço a palavra CULPADO. Você sorteará um dos papéis e aquele que sair será o veredicto. O Senhor decidirá seu destino, determinou o juiz.
Sem que o acusado percebesse, o juiz separou os dois papeis, mas em ambos escreveu CULPADO de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance do acusado livrar-se da forca. Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem. O juiz colocou os dois papeis em uma mesa e mandou o acusado escolher um. O homem pensou alguns segundos e pressentindo a vibração, aproximou-se confiante da mesa, pegou um dos papeis e rapidamente colocou-o na boca e o engoliu. Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem. – Mas o que você fez? E agora?
Como vamos saber qual seu veredicto? -É muito fácil, respondeu o homem. Basta olhar o outro pedaço que sobrou e saberemos que acabei engolindo o seu contrário. Imediatamente o homem foi libertado.
Por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar e de lutar até o ultimo momento. SEJA CRIATIVO! QUANDO TUDO PARECER PERDIDO, OUSE!

A fortaleza de um homem, não está na largura de seus ombros... Esta no tamanho de seus braços quando abraçam.
A fortaleza de um homem, não está nas profundezas de sua voz... Está na gentileza em que ele usa suas palavras.
A fortaleza de um homem, não está na quantidade de amigos que tem... Está no bom amigo que pode ser de seus filhos.
A fortaleza de um homem não está quantidade de pelos que tem no seu peito... Está em seu coração.
A fortaleza de um homem não está no golpe mais duro que pode dar... Está nos cuidados de suas caricias.
A fortaleza de um homem não está no peso que pode levantar... Está na carga que pode carregar nas costas.
A fortaleza de um homem não esta na quantidade de mulheres que amou... Mais em poder ser verdadeiramente de uma só mulher.

Um homem estava sentado ao lado do caixão de sua companheira, triste e amargurado. De repente viu passar à sua frente um desfile de formas belas e brilhantes, leves de lábios rosados e olhos claros de alegria.
Quem são vocês, belas criaturas? – perguntou ele. E elas responderam: Somos as palavras que você poderia ter dito a ela. Ah! Fiquem comigo! – implorou o homem.
Suas belas formas são como um punhal me cortando o coração, mas mesmo assim fiquem comigo, pois ela está fria e muda e estou sozinho.
Elas responderam: Não, não podemos ficar porque não temos existência. Somos apenas a luz que jamais brilhou. E foram embora.
O homem continuou triste e amargurado. De repente viu se erguer entre ele e o caixão um bando de formas terríveis, pálidas, de lábios brancos e olhos de fogo. O homem estremeceu.
Quem são vocês, formas horrendas? – perguntou ele. E elas responderam: Somos as palavras que ela ouviu de você. O homem gritou aterrado.
Saiam daqui, me deixem só! Melhor a solidão do que a sua companhia! Mas elas se sentaram em silêncio, fixaram os olhos no homem e permaneceram com ele para sempre.

No parque, uma mulher sentou-se ao lado de um homem. Ela disse: - Aquele ali é meu filho, o de suéter vermelho deslizando no escorregador.
- Um bonito garoto – respondeu o homem. E completou: – Aquela de vestido branco, pedalando a bicicleta, é minha filha.
Então, olhando o relógio, o homem chamou a sua filha.
- Melissa, o que você acha de irmos?
- Mais cinco minutos, pai. Por favor. Só mais cinco minutos!
O homem concordou e Melissa continuou pedalando sua bicicleta, para alegria de seu coração.
Os minutos se passaram, o pai levantou-se e novamente chamou sua filha:
- Hora de irmos, agora?
Mas, outra vez Melissa pediu: - Mais cinco minutos, pai. Só mais cinco minutos!
O homem sorriu e disse: - Está certo!
- O senhor é certamente um pai muito paciente – comentou a mulher ao seu lado.
O homem sorriu e disse:
- O irmão mais velho de Melissa foi morto no ano passado por um motorista bêbado, quando montava sua bicicleta perto daqui. Eu nunca passei muito tempo com meu filho e agora eu daria qualquer coisa por apenas mais cinco minutos com ele. Eu me prometi não cometer o mesmo erro com Melissa. Ela acha que tem mais cinco minutos para andar de bicicleta. Na verdade, eu é que tenho mais cinco minutos para vê-la brincar...
Em tudo na vida estabelecemos prioridades.
Quais são as suas?
Lembre-se: Nem tudo o que importante é prioritário, e nem tudo o que é necessário é indispensável!
Dê, hoje, a alguém que você ama mais cinco minutos de seu tempo.