Mensagens de Otimismo

Um estudante universitário saiu um dia a dar um passeio com um professor, a quem os alunos consideravam seu amigo devido à sua bondade para os que seguiam as suas instruções.
Enquanto caminhavam, viram no seu caminho um par de sapatos velhos e calcularam que pertenciam a um homem que trabalhava no campo ao lado, e que estava prestes a terminar o seu dia de trabalho.
O aluno disse ao professor: vamos fazer-lhe uma brincadeira. Vamos esconder-lhe os sapatos e escondemo-nos atrás duma árvore para ver a sua cara quando não os encontrar.
Meu querido amigo, disse o professor, nunca devemos divertir-nos à custa dos pobres. Tu és rico e podes dar uma alegria a este homem. Põe uma moeda em cada sapato e depois escondemo-nos para ver a sua reação quando os encontrar.
Fez assim e esconderam-se.
O pobre homem terminou as suas tarefas daquele dia e foi buscar os sapatos, para voltar para casa.
Ao chegar junto dos sapatos deslizou o pé no sapato, mas sentiu algo dentro dele. Baixou-se para ver o que era e encontrou a moeda. Pasmado, perguntou-se o que havia acontecido. Viu a moeda e voltou-a e voltou a olhá-la.
Olhou à sua volta, para todos os lados, mas não viu nada nem ninguém. Guardou a moeda no bolso e foi calçar o outro sapato. A sua surpresa foi ainda maior quando encontrou outra moeda.
Os seus sentimentos esmagaram-no. Pôs-se de joelhos, levantou o olhos ao céu, e em voz alta fez um enorme agradecimento, falando da sua esposa doente e sem ajuda, e dos seus filhos que não tinham pão e devido a uma mão desconhecida já não morreriam de fome.
O estudante ficou profundamente emocionado e os seus olhos ficaram cheios de lágrimas.
Agora, disse o professor, não estás mais satisfeito com esta brincadeira?
O jovem respondeu: você hoje ensinou-me uma lição que nunca mais vou esquecer.
Agora entendo algo que antes não entendia: É melhor dar do que receber.

Um dia para pegar um ônibus sem destino certo. Para abolir qualquer relógio, inclusive o relógio ponto. Para dizer: Eu Te Amo, para aquela pessoa que você adora secretamente, temendo uma rejeição. Para fazer de conta que não existe cobrança, culpa ou medo, em nenhuma forma de manifestação. Para não ouvir a voz de um falso deus inclemente que lhe foi imposto e para contestar as questionáveis leis dos homens.
Para reconhecer que você está cansado de ser politicamente correto, exímio trabalhador, pai ou mãe exemplar, cidadão ou cidadã de ficha limpa, sem mácula alguma que lhe possam imputar. Para dizer um basta, alto e bom som às pessoas e situações que por anos a fio, estão a lhe cercear.
Para não pensar nas contas no fim do mês e nem nos malabarismos que você faz para prover e pagar. Para reconhecer que ter filhos é uma bênção, mas criá-los a contento, é um oneroso e complicado dever. Para admitir que a vida está passando muito depressa e que às vezes você tem muito medo de morrer. Para descobrir que você virou um náufrago, meteu-se numa camisa de onze varas e que, na verdade, não teve outra escolha, se quisesse sobreviver.
Para lembrar que há muito tempo você não faz nada que lhe dá prazer, não porque não queira, mas porque muito mais alto, lhe fala o dever. Para perceber que sua lenda pessoal é incompatível com os compromissos assumidos e que você não poderá segui-la sem que outros venham a sofrer.
Para chorar por tudo aquilo que você quis que fosse, mas que infelizmente não pode ser. E se você fizer tudo isto, por certo vão lhe taxar de louco, mas antes que você enlouqueça de vez, permita-se um dia de trégua. Feche para balanço, passe sua vida a limpo. Jogue fora dos arquivos e dos armários internos, tudo que você puder jogar.
Esvazie-se, solte-se, aquiete-se e creia... é neste exato momento que a Suprema Força do Universo poderá lhe ajudar. No dia seguinte retome o seu trajeto serenamente, porque haverá Anjos no seu caminhar e a mão amorosa de Deus a lhe sustentar.

Certo dia eu estava aplicando uma prova, os alunos, em silêncio tentavam responder as perguntas com uma certa ansiedade.
Faltavam uns 15 minutos para o encerramento e um aluno levantou o braço, se dirigiu a mim e disse:
- Professor, pode me dar uma folha em branco ?
Levei a folha até sua carteira e perguntei porque queria mais uma folha em branco.
Ele respondeu:
- Eu tentei responder as questões, rabisquei tudo, fiz uma confusão danada e queria começar outra vez.
Apesar do pouco tempo que faltava, confiei no rapaz, dei-lhe a folha Em branco e fiquei torcendo por ele.
Aquela sua atitude causou-me simpatia.
Hoje, lembrando aquele episódio simples, comecei a pensar quantas Pessoas receberam uma folha em branco, que foi a vida que DEUS lhe deu até agora, e só tem feito rabisco, confusões, tentativas frustradas e uma Confusão danada...
Acho que, agora, seria um bom momento para se pedir a DEUS uma folha Em branco. uma nova oportunidade para ser feliz.
Assim como tirar uma boa nota depende exclusivamente da atenção e Esforço do aluno, uma vida boa, também depende da atenção que dermos aos ensinamentos do professor nosso DEUS.
Não importa qual seja sua idade, condição financeira, religião, etc...
Levante o braço, peça uma folha em branco, passe sua vida a limpo.
Não se preocupe em tirar 10 (dez), ser o melhor, preocupe-se apenas em Ter a simpatia do Mestre.
Ele está mais interessado em quem pede ajuda, portanto, só depende de você.
Que o Senhor te abençoe, guarde a tua vida e te dê a Paz.

O tempo vai passando e se a gente deixar o cansaço tomar conta, a vida vai perdendo a graça. As dificuldades vêm e aos poucos a gente vai esquecendo de se emocionar. Incrível, mas a emoção vai ficando pra trás. Não vemos mais graça em nada e as coisas mais simples vão perdendo o significado.
Quando isso acontece, acho que tem uma saída. E a saída pra voltar a se emocionar é tomar como exemplo a criatura mais simples do mundo, a criança.
Imagine-se como uma criança fazendo a primeira viagem.
Uma criança quando viaja, vai na janela se emocionando com cada curva, com cada montanha, com as árvores da estrada, com os animaizinhos que pastam na beira da pista, encontrando nas nuvens formatos que só elas veem.
Uma criança quando viaja, dorme de repente, acorda chorando, logo para porque ali na estrada viu um coisa incrível ! O sol! Nossa, o sol, que nós vemos sempre e não nos emocionamos.
Há momentos da viagem em que chove e a criança fica feliz, porque essa chuva que faz o vidro embaçar virou uma lousa e ali se faz desenhos.
Nossa, uma criança se emociona e se surpreende com cada coisa... E por que a gente quando já adulto não se emociona também ? Porque já perdeu a graça, e quando perde a graça as coisas deixam de acontecer.
Então volte a se emocionar, porque se não há emoção não existe acontecimento, não existe resposta. A emoção te movimenta e leva você muito mais além...
Faça essa viajem ao seu interior e vá se emocionando com cada novidade... Volte a ser o que você sempre foi... Uma criança feliz...