Lembranças - Mensagens

A gente tem saudades de tantos lindos momentos... A gente tem saudades do que viveu, e não consegue viver de novo... De um grande amor interrompido... de um gostar proibido. A gente tem saudade do que não fez... e poderia ter feito..
São saudades dúbias... ora rimos, ora choramos... São saudades de coisas incompletas... Que ficaram por acontecer... e o destino interrompeu... A gente tem saudades da gente mesmo...
Do que fomos... em outros tempos... A gente ri e chora de saudades de um grande amor... Ah! na certa não poderia suportar... Se não me ancorasse nas lembranças,
Do que deu para acontecer... Quase não dou conta dessas saudades todas... Creio que são as lembranças que me salvam... De me perder na saudade, e dão a ela
Aquele sabor de felicidade... Saudades felizes... acontecem... sim, Se temos doces lembranças! Doídas saudades felizes..

Amor.
... Intenso... Imenso
Infinito sentimento
cravado no peito.
Onde a dor da Saudade
Vivendo no tempo
Que corre contra o vento
Que alimenta meu coração
Que trás na primavera
Lembrança de outrora
Como duas almas gêmeas
Em forma de beija-flor
Buscando o néctar do amor
Sentindo o perfume suave
Despendendo neste jardim intenso
Palco de nossas páginas escritas
Testemunho de juramentos
De juntos sempre ficar
E hoje de intenso a vazio
A lembrar tua partida
Sem dizer adeus
Venho te homenagear
Junto as flores a lembrança
No jardim da esperança
De quem me ensinou a amar
A quem fez feliz
Que hoje em sombras do passado
Dos vestígios deixados
Vive na saudade
De uma primavera feliz.

A noite vem perdida
Ou sera que sou eu que estou perdida?
A noite vem como minha companheira,
Vem ouvir-me, vem ajudar-me...
Ela não serve só para eu desabafar...
A noite não e tristeza, a noite e um sopro da vida,
Porque e na noite que nos abrigamos
Quando nos sentimos desprezados, nesta corrida
Que fazemos desde que nascemos
Em busca do conhecimento
E da felicidade...
Eu nunca desisti, em nenhum momento,
Talvez porque nas horas mais "insanas"
A Lua e as estrelas tenham me acompanhado
Pelas entranhas
Do Universo, sempre acordado!

De olhos abertos, vi, ouvi, senti,
Tudo o que não vou esquecer...
Nas horas mais loucas talvez tenha visto, ouvido, sentido
E jurado nunca mais lembrar,
Mas não preciso da lembrança, porque ela existe sempre
Mesmo quando a dada altura a quero apagar, a quero esquecer!
Ela nunca se vai dissipar...

Culpa da Lua! O luar mantem viva a lembrança...

Para muitos de nós, o Natal perdeu a sua real importância, perdeu o seu significado simbólico. O Natal não é trocar presentes, não é esperar e nem desejar um presente caro. O simbolismo do Natal é o renascimento, é o fogo da vida aceso dentro de nós, é paz, amor e confraternização.

Os presentes são apenas uma lembrança dos presentes dados pelos Reis Magos ao Menino Jesus. Como renascemos no Natal, também recebemos uma lembrança, mas deveria ser simbólica, algo cheio de afeto e não uma fonte de investimento financeiro. Nenhum presente tem importância sem a presença de Deus.

Não podemos esquecer o que é o Natal. A celebração do Natal é a celebração do amor, da união, da família e da renovação. Viva o Natal de verdade!

Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.

Certeza é quando a ideia cansa de procurar e para.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.

Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.

Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.

Paixão é quando apesar da palavra "perigo" o desejo chega e entra.

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?

Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação.
Esse negócio de amor, não sei explicar.

Algum tempo já passou desde que você partiu. Nos primeiros tempos sem você, a dor era tão aguda que era difícil pensar em outra coisa, mas era triste lembrar de você com dor, com a dor do luto.

Hoje, penso todos os dias em você, mas aquela dor virou saudade, a dor já não é aguda, mas continua latente. Eu espero pelo dia que a sua lembrança virá acompanhada apenas de um sopro morno de saudade e do amor que se mantém vivo em meu peito.

Você é e sempre será parte de mim, você estará sempre dentro do meu coração. Quando penso em você, tento afastar a dor com o seu sorriso que me vem à mente, porque quero lembrar de você feliz, e quero que a sua lembrança me traga também a felicidade dos tempos que eu tinha você ao meu lado.

Espero que você esteja bem voando entre as estrelas!

A saudade é um sentimento ardil
Na realidade dolorosa da vida saudade é a lembrança
A lembrança que faz com que o coração se encha novamente
Sentimo-nos por completo
A realidade chega impactando
E a saudade machuca de novo
A tristeza aumenta por não podermos mais ter a pessoa amada aqui
Sentimos tristeza pelas pessoas que não tiveram a chance de conhecê-la
Sentimos felizes por termos vivido com tal pessoa especial
Nosso coração ampara-se
Mas, vai ser no vazio da solidão que sempre as esperaremos
Com os braços abertos
E os lábios cheios de desejo
Enfim sinto meu corpo ao seu
Te abraço, beijo, mato minha saudade
Mato como ela me matou de tanto amor.

Cuida da imagem que deixa por onde passa.

Que lembrança você anda gravando nas pessoas?

Você é o símbolo da alegria, da bondade, da esperança ou vive amargurada e passa para todo mundo a dor, a revolta, o desespero, a falta de esperanças?

Por onde você passa você fala de realizações, de boas energias, tem sempre uma boa notícia, uma palavra amiga, um gesto de esperança, ou leva só reclamação, a lamúria constante?

Aonde você chega as pessoas se aproximam para cumprimentar e querem te abraçar com festa ou se afastam dando desculpas?

Se alguém lhe der um espelho agora, seu rosto vai mostrar a alegria de quem tem a certeza da vitória, ou a tristeza de quem se acostumou com a dor e a derrota?

Seu rosto é a expressão de quem espera alguém ou alguma coisa para ser feliz, ou de quem já vive feliz com o que tem?

Deixe em sua caminhada marcas que nunca se apaguem...

Escreva com o coração tudo o que fizer.

Carregue em você a semente da alegria e distribua para todos que se aproximarem. Assim, nunca lhe faltarão amigos dispostos a dividir.

Conquiste amigos em todos os lugares por onde andar e conquistará um tesouro eterno, que nenhum ouro poderá pagar.

Que a sua marca de vida seja a alegria, assim você deixará pra sempre uma lembrança suave de quem será amado para sempre.

Em cada momento um ato
Em cada ato um pensamento
Em cada pensamento uma saudade
Em cada saudade você
Em cada hora uma história
Em cada história uma aventura
Em cada aventura uma lembrança
Em cada lembrança, você
Em cada dia um livro
Em cada livro um porquê
Em cada porquê uma resposta
Em cada resposta, você
Em cada amor uma vida
Em cada vida um saber
Em cada saber uma certeza
Em certeza de gostar de você
Em cada música um canto
Em cada canto uma poesia
Em cada poesia um beijo
Em cada beijo um desejo
Em cada desejo, você
Em cada pássaro um voo
Em cada voo uma paixão
Em cada paixão uma loucura
Em cada loucura, você
Em cada sorriso uma alegria
Em cada alegria uma felicidade
Em cada felicidade uma vontade
Em cada vontade uma satisfação
Em cada satisfação um prazer
Em cada prazer... você
Só você, eternamente você...

Acredito que mesmo distante o pensamento é energia, e quando vem do fundo do coração transforma-se em lembrança. E da lembrança, o sorriso. E deste, a vontade de ligar, de escrever ou de simplesmente responder um e-mail. Não deixe a chama da amizade se apagar, seja leal, honesto e acima de tudo, amigo.
De todos os sentimentos que levamos quando despertamos na morte, a amizade é tudo que temos, pois dela nascem todos os sentimentos que nos unem pelo coração: a alegria, a paz, a certeza, a humildade, a sinceridade, e o amor... Onde ambos se completam e mesmo ausentes, ou distantes, jamais se distanciam ou se esquecem, porque um é a metade do outro...
A amizade não existe sem amor e o amor não nasce e reproduz sem a amizade.
De tudo que podes ser na vida o mérito maior é ser amigo!

E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perde da outra, procura-a por um instante e depois adere a qualquer cordão. É melhor pensar que a última vez que se encontraram se curtiram muito — depois apenas aconteceu que não se encontraram mais. Eles não se despediram, a vida é que os despediu, cada um para seu lado — sem glória nem humilhação.
Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também uma lembrança boa; que não será proibido confessar que às vezes se tem saudades; nem será odioso dizer que a separação ao mesmo tempo nos traz um inexplicável sentimento de alívio, e de sossego; e um indefinível remorso; e um recôndito despeito.
E que houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossa vida; que a lembrança deles nos faz sentir maior a nossa solidão; mas que essa solidão ficou menos infeliz: que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa noite e de nosso confuso sonho?
Talvez não mereçamos imaginar que haverá outros verões; se eles vierem, nós os receberemos obedientes como as cigarras e as paineiras — com flores e cantos. O inverno — te lembras — nos maltratou; não havia flores, não havia mar, e fomos sacudidos de um lado para outro como dois bonecos na mão de um titeriteiro inábil.
Ah, talvez valesse a pena dizer que houve um telefonema que não pôde haver; entretanto, é possível que não adiantasse nada. Para que explicações? Esqueçamos as pequenas coisas mortificantes; o silêncio torna tudo menos penoso; lembremos apenas as coisas douradas e digamos apenas a pequena palavra: adeus.
A pequena palavra que se alonga como um canto de cigarra perdido numa tarde de domingo.

Rubem Braga - trecho do livro "A Traição das Elegantes"

Saudade é quando você tenta tirar da lembrança e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.
Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.
Certeza é quando a ideia cansa de procurar e para.
Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Pressentimento é quando passa dentro de você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.
Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.
Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.
Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.
Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.
Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Paixão é quando apesar da palavra 'perigo' o desejo chega e entra.
Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... Também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?
Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação.
Esse negócio de amor, não sei explicar.

Desejo reter em minha memória a sua lembrança.
Cada sorriso que iluminava meu olhar.
Cada olhar que preenchia cada vazio de meu coração.
Cada toque que exasperava minha alma
com a suavidade de uma brisa
e as consequências devastadoras de um furacão.
Tocar suas mãos...
era ter a segurança do mais corajoso exército,
que também derrocava.
Derrotas que se tornavam vitórias
no aconchego acolhedor de teu abraço,
quando então voltava a ser criança aflita,
até que o beijo comburente de tua boca,
mais uma vez,
resgatasse a mulher em mim.
Nenhum átomo de meu corpo ousava manter-se inerte
a pirotecnia que fazia esplendor em meu ser,
quando nossas luzes coalesciam
e iluminavam, e dilatavam, e estremeciam,
e contraiam e vibravam
cada ínfimo espaço desse infinito universo.
Em meu âmago guardo tua lembrança,
que nunca hei de esquecer!

De dentro de uma semente rasgou, certo dia, uma planta. Ainda era muito cedo para brotar, mas era melhor o frio externo do que suportar a casca que lhe sufocava. O vento lhe queimava a pele, e a sol forte quase não a deixava respirar. A terra onde nasceu era seca, e as pedras impediam que criasse raízes. Mas as raízes insistiam em crescer, e apodreciam porque no solo não conseguia se fixar.

Suas folhas pequeninas não sobreviviam muito além de alguns dias, logo secavam e caiam por terra. E a planta se deixou levar ao vento, na esperança de encontrar solo fértil. Areias quentes, alagados, solo infestado de raízes velhas. Em algum lugar precisava encontrar terra, onde pudesse florescer, mas na terra não houve um só canto onde pudesse fixar suas raízes, e numa estranha mutação a planta aprendeu a se nutrir do vento. E se acostumou a ver suas folhas caírem por terra, e frutos nunca ter.

Por muito tempo viajou por mundos ignotos e conheceu seus costumes. Por muitos mundos ela passou sem ser notada. Por outros deixou suas folhas secas nutrindo a terra. Seu sonho era ser como as outras plantas, criar raízes, florescer, frutificar. Um dia um jardineiro a recolheu num vaso, e ali regou suas raízes, e ela cresceu e floresceu, sentia-se viva e feliz. E por uma vez sentiu o calor da terra. Sentiu suas raízes crescerem, sentiu pela primeira vez sua natureza de planta

Todo o seu ser lhe foi grato, como se na vida toda estivesse esperando por este momento. O jardineiro lhe deu o precioso momento de ser e a planta nunca esquecerá do jardineiro. Porque mesmo por pouco tempo, a lembrança de ser planta, de ser cuidada e de ter raízes na terra ficará para sempre. E agora ameaça o vento a lhe arrancar do vaso numa noite dessas. E de novo lhe levar pelo ar para estranhas terras. E novamente ela terá que aprender a se nutrir do ar. Mas por onde for ela levará a lembrança de que um dia foi planta e teve terra e a imagem do jardineiro a regar seu vaso.

Diz o poeta: "... amigos são testemunhas vivas de nossas vidas". São fragmentos de nossa história, e em cada lembrança de um rosto amigo podemos recordar um momento de nosso passado, e amigos são muito mais do que momentos, são alianças que fazemos pela eternidade, mesmo que a amizade seja passageira, que dure apenas um contrato de trabalho, um período escolar ou as férias de verão, ainda assim, fica uma marca indelével na alma, ou, como dizia o próprio Milan Kundera, escritor tcheco, a insustentável leveza da amizade fica pairando sobre nossas lembranças.
Um amigo empresta sentimentos, doa carinho, atenção, gestos que ficam como fotografias arquivadas em nosso interior, e basta um gesto, uma voz, um perfume no ar, uma música, um cheiro de lenha queimada ou de terra molhada e já estamos recordando um amigo.
Quem tem amigos pode se dizer feliz, realizado, quem é amigo de alguém tem prazer em viver, em servir, em ter a companhia de quem transmite algo maior que o próprio amor, alias, a amizade é a essência do amor, é a base segura que leva duas pessoas, mesmo distantes se comunicarem, transmitirem conforto e até carinho mesmo com o oceano a separá-los.
Todo amigo é uma joia, um tesouro que devemos guardar no precioso cofre chamado coração. Do amigo que acredita em você.

Navegar em teus sonhos e regar meus sentimentos com sua presença mais constante é o que mais desejo, desde que tive o prazer de te conhecer, por isso resolvi fazer alguma coisa, dando o primeiro passo para que você saiba que fez uma revolução no coração de alguém.
As pessoas se buscam, se procuram e se encontram desde o começo dos tempos.
É a busca pela felicidade a dois e não existe outra maneira a não ser iniciar uma conquista suave.
Considere esta mensagem uma tentativa de conquistar você...
O tempo passa levando o meu hoje para o ontem repleto de um vazio sentindo a falta de um bem querer.
Sua lembrança está guardada nas minhas lembranças, poucas palavras trocadas, um desejo enorme de se aventurar e conhecer um outro lado da vida junto de outro alguém.
É difícil querer uma outra pessoa, mesmo porque a timidez se apodera tirando toda a coragem de se declarar, mas enfim aqui estou desejando muito te conquistar!

Todos os dias eu só penso em uma coisa...
Em seu sorriso.
Do seu rosto poucas lembranças eu tenho.
Mas o seu sorriso maroto, infantil não sai dos meus pensamentos.
Se estou triste lembro-me de você a sorrir...
Transporto-me para os momentos tão felizes que vivemos..
Foram tão poucos, que pena!
Mas tão intensos que não consigo deixar de pensar um só momento...

Se, estou na praia, vejo você correndo para mim.
Sinto seus beijos ardentes tocar os meus lábios
E as lágrimas nascem em meus olhos
Procuro dentro de mim a imagem do seu sorriso
Pois é isso que me conforta...

Se, estou na praça, ouço os passarinhos
Penso em você...
Vejo em cada flor você...
A brisa que sopra no entardecer traz o seu perfume
o seu perfume me entorpece
A saudade me invade, a dor da distância toma conta de mim.
E nem a lembrança do seu sorriso me faz me sentir melhor.

Hoje, dia dos namorados você tão distante
Não posso sequer tocar você...
Busco em cada objeto que partilhamos juntos
A sua presença, cheiro o lenço que tem o seu perfume...
Mas saudades ainda!.
Meu amor à coisa que eu mais gostaria nesse momento
Era poder estar com você...
Te beijar, te amar...
E ficarmos bem juntinhos como da última vez...
Gostaria de poder sentir o seu perfume...
Beijar sua boca, e o seu corpo inteiro.
E assim esperar que o tempo parasse nesse momento
Para que pudéssemos nos amar sem pressa, sem tempo.
Só te amar.

Hoje não me resta mais nada...
Só tenho minha dor...
Perdi teus carinhos, teus beijos, seu amor!
Eu tentei... mas foi em vão.
Agora não consigo te esquecer,
A cada minuto sua lembrança me atormenta.
Não quero te esquecer, não pode ser verdade,
Ainda ontem você estava aqui,
Ao meu lado me falando como me admirava!
Eu sei, sempre soube que você não me amava,
Mas eu sabia o quanto gostava de estar comigo.
Tinha esperanças de transformar prazer em amor,
mas foi em vão... Tudo acabou.
Agora me restam as lembranças, o gosto da sua boca.
E a minha dor por ter te perdido!

Meus pensamentos se infundem
Na tua loção sensual.
Então eu caminho adentro
Da solidão dessa estrada...
Meu peito rompe-se no topo
Desse gozo virginal,
E deságuo ao descobrir
Que minha saudade não é alada...

As asas se dissiparam
Na vastidão desse caminho.
Tentei fazer a alquimia perfeita
Para não te perder.
Mas aqui, nesse deserto,
Estou desnudo e sozinho,
Misturei notas, criei acordes,
E não encontrei você...

Como um perfumista,
Peguei a essência de diferentes rosas.
Mas a química perfeita da tua alma
Parecia não existir mais.
Em versos vãos, transformei lembranças
Em simples prosas...
A saudade do teu cheiro
Envenenou-me em nos umbrais!

Diante dessa estrada
Empoeirada de anêmica paixão,
Acho que a sombra da morte aparece
Em sorrateiros sinais.
E ao perigoso romper desse iludido,
E indelével coração,
Destilo-me junto ao chão
No aroma vermelho dessa lembrança fugaz...

Angustiada... coração dor fina...
Lágrimas caindo... sentimentos... abalados...
Desespero... sofrimento...
Querendo ser forte... já não suporto...
Acabou... só ficará na lembrança...
Nossa Casa...
Nossos filhos... pequenos correndo... brincando...
Chorando... aniversários...
Brigas... tristezas...
Você... nunca percebeu...
Eu só queria você...
Viver com você...
Teu mundo já não era nosso...
Teus amigos... já não eram nossos...
Olhar a Nossa Casa...
Toda quebrada... reformar...
Pra que?... não adianta...
As lembranças... os momentos...
mesmos tristes... estão pra sempre...
dentro da gente...
Nossa casa... quebrada... uma parte... minha morreu...
Tua fraqueza... meu sofrimento...
Fugir... por que?
Modificações... não adiantam...
O fraco... foi esmagado...
Ressentimentos... magoas
Sofrimentos... nem o tempo apaga...
Nossos filhos...
Nossa Casa...

No trem da vida a beleza é passageira e o tempo são os trilhos a percorrer. O que está presente daqui a pouco, há uma hora ou mesmo um instante, deixará de ser presente para ser no passado, contente lembrança.
Cada dia que nasce é o futuro que hoje se torna presente e amanhã será passado. Não deixe um dia passar como um a mais, viva-o intensamente na possibilidade de fazer a diferença.
Sempre vamos, mas nunca voltamos, pois o tempo passa, não volta, não para. O tempo nos leva de onde chegamos até aonde vamos, nos trás de onde partimos. Todo o tempo às pessoas vem e vão, passam por nossas vidas.
Há pessoas que vem para ficar e outras vão para nunca mais voltar. Deixam saudades e vivem lembradas em nossos pensamentos. E quem fica, é vivo lembrado no olhar de quem vai. Mas continuam sempre presentes por suas lembranças. Seu jeito de sorrir, de olhar, de falar, suas manias, um pouco de si em nós.
Pessoas que se tornam marcantes por serem amadas. Pessoas que são tocadas pelo vento para morar em outros corações, para encontrar refúgio em outro lugar e até um dia encontrar porto seguro nos braços do seu lugar.

A amizade sincera nunca é esquecida, apenas cristalizada, para um momento qualquer, seja de novo reacendida e vivida plenamente.
Como é bom saber que mesmo através da distância do tempo podemos nos considerar pessoas sortudas e felizes já que reencontramos numa sucessão de dias, horas e momentos, amigos inesquecíveis assim como você, e possamos afirmar com plena certeza de que guardaremos na nossa lembrança todo e qualquer acontecimento vivido dos tempos do colégio, época de preocupações de grandes dilemas juvenis como: Que será que vai constar na prova ou nossa, será que vai dar tempo para chegar à escola.
Esses instantes deixaram de existir, mas as lembranças de boas amizades permanecem no íntimo de cada um de nós.
Alguns amigos na nossa vida passam mesmo sendo insubstituíveis, mas esses amigos nunca nos deixam completamente sós, porque acabam deixando um pouco deles e levam um pouquinho de nós, e isso mostra que nada na vida é por acaso, não é destino, nem estava escrito é fato irrelevante, que temos sempre pessoas preciosas ao nosso redor durante a nossa existência. Meu amigo inesquecível que tenhas sempre essa força de vontade e coragem para desafiar o mundo e vencer os obstáculos da vida.

Sinto saudades do tempo em que conhecia meus sentimentos;
Do tempo em que sabia o motivo pelo qual eu chorava ou sorria;
Dos momentos em que eu vivia plenamente minha vida;
Sinto saudades de tudo o que vi e vivi, porque sei que minha alma estava tranquila nesses momentos;
Hoje quando tento me encontrar te vejo em tudo. A mesma dor, as lembranças das promessas vazias, tão vazias que nem mesmo você acreditava, das juras de amor que me faziam sonhar e que com o tempo foram me dominando.
Por mais que eu tente não consigo entender como pude me entregar a um amor tão esnobe, um amor incapaz de amar, de fazer feliz, de se permitir ser feliz.
Hoje vejo todos os defeitos que antes me pareciam preciosidades. Hoje sinto um vazio que ainda não sei explicar o que é e que talvez um dia o tempo me permita entender.
Hoje sei que de todas as coisas ruins que você me fez sentir a pior ainda esta comigo: a lembrança de saber que alguém como você ainda existe.
Sinto tanta falta de mim que só vou me reencontrar quando conseguir dizer com toda serenidade que não me lembro quem você foi, é ou será.
Infelizmente um amor nem sempre vem como amor.

A morte nos rouba aqueles que amamos, nos causa um sofrimento tremendo, mas há algo que a morte não pode, e é roubar-nos da lembrança daqueles que partem. Através da memória dos que ficam, quem se foi jamais desaparece para sempre. A sua marca continua viva na nossa saudade, amor e lembranças.

Então, hoje relembremos com carinho e amor todos aqueles que vimos partir. Prestemos homenagem às suas memórias, ao que foram em vida, ao legado que deixaram e do qual todos que os amávamos fazemos também parte.

A morte pode ser um golpe terrível de suportar, mas nunca pode ser um adeus definitivo, mas sim uma despedida temporária. Quem partiu apenas seguiu caminho primeiro, e enquanto não nos voltarmos a encontrar a melhor forma de manter essa pessoa presente é recordá-la com carinho, e assim também confortar a saudade que ela deixou.