Mensagens de Humildade

O PACOTE DE BOLACHA

-Uma moça aguardava seu voo na sala de embarque de um grande aeroporto.
-Como deveria esperar algumas horas, resolveu comprar um livro para passar o tempo.
-Comprou também um pacote de bolachas e sentou-se numa poltrona na sala vip do aeroporto para que pudesse descansar e ler em paz.
-Enquanto ela lia seu livro, sentou-se ao seu lado um homem.
-Após algumas páginas, ela pegou a primeira bolacha do pacote.
-O homem também pegou uma. Ela se sentiu indignada, mas não disse nada.
-A cada bolacha que ela pegava o homem também pegava uma. Aquilo a deixava tão indignada que nem conseguia reagir. Ela só respirava fundo e fazia cara feia.
-Quando restava apenas uma bolacha, ela pensou:
"O que será que esse abusado fará agora?"
-Então o homem dividiu a última bolacha ao meio deixando a outra metade para ela. Ah! Aquilo era demais!
-Ela estava explodindo de raiva!
-Seu voo é anunciado. Ela pega seu livro e suas coisas e se dirigiu ao embarque.
-Entra no avião e se acomoda na poltrona. Então, ela abre a bolsa para pegar uma bala.
-Para sua surpresa o pacote de bolachas estava lá, ainda intacto, fechadinho.
-Ela sentiu tanta vergonha! Só então percebeu que a errada era ela.
-Distraidamente, havia guardado seu pacote de bolachas dentro da bolsa e o homem havia dividido as bolachas dele sem sentir-se indignado, nervoso ou irritado. Infelizmente, já não havia mais tempo para se explicar ou pedir desculpas...

Cuidado, às vezes, nós é que estamos errados e precisamos ter a humildade de admitir. Não julgue as pessoas.
-Antes de concluir, observe.
-Talvez as coisas não sejam exatamente como você pensa.

Diante de uma vitrine atrativa, um menino pergunta o preço dos filhotes à venda.
Entre 30 e 50 dólares, respondeu o dono da loja.
O menino puxou uns trocados do bolso e disse:
Eu só tenho 2,37 dólares, mas eu posso ver os filhotes?
O dono da loja sorriu e chamou Lady, que veio correndo, seguida de cinco bolinhas de pêlo. Um dos cachorrinhos vinha mais atrás, mancando de forma visível.
Imediatamente o menino apontou aquele cachorrinho e perguntou?
O que é que há com ele?
O dono da loja explicou que o veterinário tinha examinado e descoberto que ele tinha um problema na junta do quadril, sempre mancaria e andaria devagar.
O menino se animou e disse:
Esse é o cachorrinho que eu quero comprar!
O dono da loja respondeu:
Não, você não vai querer comprar esse. Se você realmente quiser ficar com ele, eu lhe dou de presente.
O menino ficou transtornado e, olhando bem na cara do dono da loja, com seu dedo apontado, disse:
Eu não quero que você o dê para mim. Aquele cachorrinho vale tanto quanto qualquer um dos outros e eu vou pagar tudo. Na verdade, eu lhe dou 2,37 dólares agora e 50 centavos por mês, até completar o preço total.
O dono da loja contestou:
Você não pode querer realmente comprar este cachorrinho. Ele nunca vai poder correr, pular e brincar com você e com os outros cachorrinhos.
Aí, o menino abaixou e puxou a perna esquerda da calça esquerda para cima, mostrando a sua perna com um aparelho para andar. Olhou bem para o dono da loja e respondeu:
Bom, eu também não corro muito bem e o cachorrinho vai precisar de alguém que entenda isso.

A verdadeira humildade é você dar o melhor de si sem se sentir melhor que os outros.

É você ter consciência das suas qualidades, mas reconhecer que tem muitos defeitos também.

É você mostrar os seus talentos sem querer abafar os talentos dos outros.

É você admirar os outros pelo que eles são sem esquecer que você também é filho de Deus.

É você admirar os outros pelo que fazem sem esquecer que você também é capaz de fazer coisas maravilhosas.

É você aceitar cargos importantes, mas fazer deles uma maneira de servir ainda mais.

É você aceitar a vontade de Deus sem abrir mão da sua responsabilidade de tomar decisões e fazer a sua parte.

É você saber que faz parte do universo e que é uma peça importante na engrenagem criada por Deus.

É você dar a sua opinião com a disposição de ouvir a opinião do outro.

É você ser capaz de aprender com os outros sem perder sua identidade própria.

É você usar os bens da melhor forma possível, sem se tornar escravo deles.

É você saber viver na simplicidade sem sentir-se superior àqueles que são apegados às coisas.

É você olhar para a frente e seguir adiante sem esquecer quem está do seu lado.

É você escalar alturas sem pisar em ninguém.

É você saber que a santidade só faz sentido na convivência com as pessoas.

É você oferecer aos outros o que você tem de melhor sem impor-se a ninguém.

É você não depender de elogios nem recompensas para fazer o que é certo.

A verdadeira humildade é você ser como uma flor: frágil e efêmeras, mas que desabrocha beleza e exala perfume.

A Humildade do pinheiro

Conta-se que, quando os pastores foram adorar o Divino Infante, decidiram levar-lhe frutos e flores produzidos pelas árvores de modo prodigioso.

Depois dessa colheita, houve uma conversa entre as plantas, num bosque.

Regozijavam-se elas de ter podido oferecer algo a seu Criador recém-nascido:
Uma, suas tâmaras; outra, suas nozes; uma terceira, suas amêndoas; outras ainda, como a cerejeira e a laranjeira, que haviam oferecido tanto flores quanto frutos.

Do pinheiro, porém, ninguém colheu nada. Pontudas folhas, ásperas pinhas, não eram dons apresentáveis.
O pinheiro reconheceu sua nulidade. E não se sentindo à altura da conversa, rezou em silêncio:
Meu Deus recém-nascido, o que Vos oferecer?
Minha pobre e nula existência.
Esta, alegremente lhe dedico, com grande agradecimento por me terdes criado na vossa sabedoria e bondade.

Deus se comprouve com a humildade do pinheiro. E, em recompensa, fez descer do céu e se afixarem nele uma multidão de estrelinhas.

Eram de todos os matizes que existem no firmamento: douradas, prateadas, vermelhas, azuis.
Quando o outro grupo de pastores passou, levou não apenas os frutos das demais árvores, mas o pinheiro inteirinho, a árvore de tal forma maravilhosa, da qual nunca se ouvira falar.
E lá foi o pinheiro ornar a gruta de Belém, sendo colocado bem junto do Menino Jesus, de Nossa Senhora e de São José.

Somos como o pinheiro.Pobres de tudo! Mas o Senhor, revestindo-nos com seu Espírito podemos lho oferecer os frutos de sua graça!

Tenha um Santo e abençoado Natal!

Um Novo Ano Iluminado!

Cheio de Paz.

Virtude, força, caráter: Estes são o primeiro degrau para um rumo certo. Quem trata a vida com arrogância e manipula o orgulho sem medidas, arrasta a vaidade e o egoísmo para o fundo de um buraco negro, aonde a luz é impenetrável e a benção se torna impossível.
Aprender a ser humilde é viver sem fronteiras, sem preconceitos, mas sempre com respeito, com consideração ao valor do outro. Isto é, respeito ao ser humano com restrições na saúde física, saúde mental, saúde emocional, saúde espiritual. Respeito aos animais, que indefesos nada fizeram para prejudicar, apenas pedem para viver. Respeito às florestas e todas as flores que emanam perfumes que pedem para viver. Respeito aos oceanos que, senhores do planeta, tem seus recursos abundantes, pedem para manter a vida aquática. Respeito ao ar que mantém a vida, e deve ser preservado, pois todo o magnetismo que rege o planeta Terra reage àquele que com o dedo impõe sua conduta, com a língua manifesta sua grandeza, com a mão desfaz o que é certo, com os pés risca caminhos e provoca amargura, decepção e desrespeito.
Aprenda a ser humilde descendo de um degrau alto para receber qualquer ser vivo com respeito, amor e dignidade. Em contrapartida, seja humilde para receber de um Grande, a luz, a sabedoria, a ciência da vida, o valor que ninguém pode desacreditar. Sem humildade somos corpo sem vida, alma sem propósito, mente perturbada, razão sem resultado, somos e seremos luzes apagadas.
Abra seu coração, amplie sua mente, expanda sua consciência, libere sua energia com o primeiro passo no rumo certo na vida: humildade.

Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, é um dos maiores exemplos de serviço a Deus. Ela, em sua humildade, sempre estava disposta a atendê-Lo e mesmo que não pudesse compreender a grandiosidade da vontade divina, ela aceitava. Mas o que é servir a Deus? Como podemos trazer para a nossa caminhada cristã esse grande exemplo de serviço a Deus que é Maria?
Maria era uma virgem dotada de virtudes: pureza, obediência, fé, disposição, entre várias outras que muito agradavam a Deus. Por isto ela foi a escolhida entre todas as mulheres para ser a mãe do Filho de Deus. Quando o Senhor se manifestou a Maria através de um anjo, dizendo-lhe que seria mãe do Messias, ela declarou com humildade: "Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra" (Lc 1,38). O "sim" de Maria deu início a um grande processo que se prolonga até às nossas vidas. Ela se deixou ser instrumento do Senhor, para que Sua promessa de salvação se cumprisse.

Assim como Maria, devemos nos deixar ser instrumento de Deus. Muitas vezes somos chamados para algum serviço na Igreja e não conseguimos perceber que ali Deus está nos chamando para atender uma vontade Sua. Se nos negamos a servir ou servimos de má vontade, podemos interferir muito em alguma obra que o Senhor queria realizar por meio de nós. Como o "sim" de Maria, o nosso "sim" também pode ser muito importante para a vida de alguém. Servir a Deus, portanto, é se deixar ser instrumento d'Ele, é se doar para atender a vontade divina.

Aline Melo