Mensagens de Dor

Por que te confundes e te agitas diante dos problemas da vida? Deixe que eu cuide de todas as tuas coisas e tudo será melhor. Quando você se entregar a mim, tudo se resolverá com tranquilidade segundo meus desígnios. Não te desespere, não me dirija uma oração agitada, como se quisesse exigir o cumprimento dos teus desejos. Feche os olhos da alma e diga-me com calma:
Jesus, eu confio em ti.
Evite preocupações, as angústias e os pensamentos sobre o que pode acontecer depois. Não bagunce os meus planos, querendo impor suas ideias. Deixa-me ser Deus e atuar com liberdade. Se abandone confiadamente em mim. Repouse em mim e deixe em minhas mãos o teu futuro. Diga-me frequentemente:
Jesus, eu confio em ti.
O que mais danos te causa são sua razões, suas próprias ideias e você querer resolver as coisas a tua maneira. Quando me disser "Jesus, eu confio em ti", não seja como o paciente que pede ao médico que o cure, porque lhe sugere o modo de fazer. Deixe se levar em meus braços divinos, não tenha medo, eu te amo. Se acreditar que as coisas pioram ou se complicam apesar de tua oração, siga confiando. Feche os olhos da alma e confia. Continue dizendo a toda hora:
Jesus, eu confio em ti.
Necessito das mãos livres para fazer a minha obra. Mesmo que a dor seja tão forte, a ponto de derramar lágrimas dos seus olhos. Estarei com você e com a sua família em todos os momentos. Diga:
Jesus, eu confio em ti.
Confia só em mim, abandona-se em mim, jogue todas as suas angústias e durma tranquilo. Diga-me sempre "Jesus, eu confio em ti" e verás acontecer grandes milagres. Eu te prometo por meu amor. Pois, sempre confiarei em você, meu filho...

Possessivo não é amor, como todo mundo sabe e estão cansados de ouvir que... ?Ninguém é de ninguém nesse mundo?
Nem nossos filhos são nossos, o que dirá um homem ou uma mulher.
As pessoas são livres, livres para amar e escolher quem quer amar.
O amor que exige exclusão e posse não é amor.
O amor possessivo amarra, impede o crescimento, enquanto que o amor verdadeiro é a força, é o impulso que faz o outro crescer. Amar alguém é comprometer-se...
O amor é uma soma para que cada um possa ser mais ele mesmo, ele não existe para aliviar a dor e nem tão pouco para resolver necessidades, carências e interesses do outro.
O amor verdadeiro, maduro, é livre, é incondicional, sabe ceder e perder com serenidade para o bem da pessoa amada. sabe viver quando tem o bem e também quando não tem. sabe dialogar e chegar a conclusões maduras e sensatas.
O amor não nasce pronto, de uma vez... Tem que haver vibração tem que ser harmônico.
Amar alguém é comprometer-se... Como um amigo, companheiro, nas horas felizes e tristes, é ser honesto, sincero, confiante, verdadeiro em palavras e atitudes.
Amar alguém é comprometer-se... O amor é como uma rosa, mas para que essa rosa exista, é preciso que existam também espinhos.
Mas mesmo assim, o amor ainda é a maior força que existe em nós, é só o amor que nos transforma, que nos amadurece.
Se não se aceitarmos de coração aberto à dinâmica transformadora do amor estaremos definitivamente negando a crescer e permanecer sempre infantil.
Amar alguém é comprometer-se... Não importa quem você ama.
Como diz HERMANN HESSE ?NÃO É FELICIDADE SER AMADO?: TODOS AMAM A SI MESMOS AMAR AOS OUTROS, SIM, É QUE É FELICDADE.

Três trabalhadores de uma empresa de limpeza estão num andaime, lavando os vidros de um grande edifício.
De repente, um deles dá um gemido, vira-se pro outro ao lado e diz:
- Ai, ai, ai, que dor de barriga! Precisamos descer!
- Você está louco! Vai demorar a vida toda - fala o colega.
- Mas eu não tô aguentando mais, cara! Não vai dar tempo de descer!
- Então, bata na janela e peça pra senhora deixar você usar o banheiro! aconselha o amigo.
É o que ele faz. Assim que a senhora permite a sua entrada pela janela. Ele voa para o banheiro.
Está lá o cara, tranquilo, fazendo suas necessidades, quando ouve uma gritaria danada.
Quando sai, vê que o andaime tinha quebrado e os dois amigos tinham se espatifado no chão.
No dia seguinte, no velório, estão lá os amigos, as viúvas inconsoláveis e o cara acompanhado da esposa, quando chega o dono da empresa onde trabalhavam imediatamente todos fazem silêncio. O empresário começa o seu discurso, dirigindo-se às viúvas:
- Sei que foi uma perda irreparável, mas posso, pelo menos, tentar aliviar tamanho sofrimento.Isso nunca aconteceu em nossa empresa que sempre pensou na segurança dos funcionários. Eu me sinto muito triste e ajudarei em tudo que puder as viúvas. Como sei que as senhoras pagam aluguel, darei uma casa para cada uma! Também sei que as senhoras dependem de ônibus; por isso, darei um carro pra cada uma! Quanto aos estudos de seus filhos, não se preocupem mais, pois tudo será por conta da empresa até que terminem a faculdade! Para finalizar, as senhoras receberão todos os meses 3 mil reais, para as comprinhas da 'cesta básica'!
A mulher do sobrevivente, já meio arroxeada, não se contendo mais, belisca o marido e fala:
- E O BONITÃO CAGANDO, NÉ?

Para rachar a gasolina, emprestar a prancha,
recomendar um disco, dar carona para festa,
passar cola, caminhar no shopping,
segurar a barra?
Todas as alternativas estão corretas, porém
isso não basta para guardar um amigo
do lado esquerdo do peito.
Milan Kundera, escritor tcheco, escreveu
em seu último livro, "A Identidade", que
a amizade é indispensável para o bom
funcionamento da memória e para a
integridade do próprio eu.
Chama os amigos de testemunhas do passado
e diz que eles são nosso espelho,
que através deles podemos nos olhar.
Vai além: diz que toda amizade é uma aliança
contra a adversidade, aliança sem a qual
o ser humano ficaria desarmado
contra seus inimigos. Verdade verdadeira.
Amigos recentes custam a perceber essa aliança,
não valorizam ainda o que está sendo contraído.
São amizades não testadas pelo tempo, não se
sabe se enfrentarão com solidez as tempestades
ou se serão varridas em uma chuva de verão.
Veremos.
Um amigo não racha apenas a gasolina:
racha lembranças, crises de choro, experiências.
Racha a culpa, racha segredos.
Um amigo não empresta apenas a prancha.
Empresta o verbo, empresta o ombro,
empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta.
Um amigo não recomenda apenas um disco.
Recomenda cautela, recomenda um emprego,
recomenda um país.
Um amigo não dá carona apenas para festa.
Te leva para o mundo dele, e topa conhecer o teu.
Um amigo não passa apenas cola.
Passa contigo um aperto, passa junto o réveillon.
Um amigo não caminha apenas no shopping.
Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo,
sai do fracasso ao teu lado.
Um amigo não segura a barra, apenas.
Segura a mão, a ausência, segura um confissão,
segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim ninguém tem.
Se tiver um, amém!