Mensagens de Carnaval

O carnaval chegou ao Brasil em meados do século XVII, influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como a França, o carnaval acontecia em forma de desfiles urbanos, ou seja, os carnavalescos usavam máscaras e fantasias.
Embora de origem europeia, muitos personagens foram incorporados ao carnaval brasileiro, como, por exemplo, Rei momo, pierrô, colombina, etc.
Os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos cortejos de automóveis (corsos) surgiram nessa época, mas tornaram-se mais populares no começo do século XX. As pessoas decoravam seus carros, fantasiavam-se e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades, dando origem aos carros alegóricos.
O carnaval tornou-se cada vez mais popular no século XX, e teve um crescimento considerável neste período, que ocorreu em virtude das marchinhas carnavalescas (músicas que faziam o carnaval mais animado).
A primeira escola de samba foi criada no dia 12 de Agosto de 1928, no Rio de Janeiro, e chamava-se Deixa Falar.
Anos depois, a escola mudou seu nome para Estácio de Sá. A partir deste momento o carnaval de rua começou a ganhar um novo formato. Com isso, no Rio de Janeiro e São Paulo, começaram a surgir novas escolas de samba. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, iniciaram os primeiros campeonatos para constatar qual escola de samba era a mais bela e animada.
A Região Nordeste permaneceu com as tradições originais do carnaval de rua como, por exemplo, Recife. Já na Bahia, o carnaval de rua conta com a participação dos trios elétricos, embalados por músicas dançantes, em especial pelo axé.

Vem ao baile vem ao baile
Pelo braço ou pelo nariz
Vem ao baile vem ao baile
E vais ver como te ris
Deixa a tristeza doer
As unhas de desespero
Deixa a verdade e o erro
Deixa tudo vem beber
Vem ao baile das palavras
Que se beijam desenlaçam
Palavras que ficam passam
Como a chuva das vidraças
Vem ao baile oh tens de vir
E perde-te nos espelhos
Há outros muito mais velhos
Que ainda sabem sorrir
Vem ao baile da loucura
Vem desfazer-te do corpo
E quando caíres de borco
A tua alma é mais pura
Vem ao baile vem ao baile
Pelo chão ou pelo ar
Vem ao baile vem ao baile
E verás o que é bailar.

Adorei o teu convite para passar os feriados do carnaval contigo. Podes esperar, vou estar ao teu lado em breve, com certeza. Tu foste mesmo um amor ao convidar-me para ir ficar contigo. Sempre sonhei com isso, eu e tu juntos a aproveitar o carnaval. Agora que tu moras aí, e tiveste a gentileza de me chamar, estou muito feliz. Garanto a minha presença, até porque já não aguentava a saudade.
Já estou a planejar a viagem, quero estar contigo logo cedo. Vamos à praia e, com toda animação, vamos preparar-nos para irmos para o desfile. O certo é que vamos aproveitar muito este carnaval.
O teu convite provocou-me uma especial alegria porque percebi que a tua ida não foi suficiente para tu me esqueceres. O meu coração deu pulinhos dentro do peito, já na cadência da festa. A minha garota não me esqueceu! Vou estar com ela no carnaval. Eu aqui, estava meio triste só de pensar no carnaval longe de ti. Mas agora juntos vamos fazer o maior sucesso.
A tua lembrança chegou mesmo na hora em que eu mais sentia a melancolia da tua ausência. Lembrei o dia em que juntos planejamos algumas fantasias carnavalescas. E agora, eu e tu não vamos deixar passar em branco. Nosso plano deu certo!

Chegamos outra vez ao Carnaval, uma ocasião de muita festa e alegria. Mas este clima de euforia muitas vezes é propício a atitudes extremas que podem causar situações indesejáveis e muitas vezes irreversíveis.

Acima de tudo, é preciso ter noção que no Carnaval, não vale tudo. O respeito e civismo não podem nem devem ser esquecidos nos dias de festa. É preciso ter responsabilidade e a vontade de querer fazer as escolhas certas. Ter a coragem de fazer o que é justo e íntegro, mesmo que todas as outras pessoas estejam fazendo o que é errado.

Que os festejos, os bailes, a alegria, a folia, o convívio e a confraternização possam ocorrer sem incidentes, sem violência e com a noção que o melhor Carnaval deve ser celebrado em um ambiente de paz e harmonia.

Um ótimo Carnaval!

O momento tão aguardado chegou: o Carnaval. Aquele tempo mágico em que por breves momentos todos podemos sair para esquecer os momentos mais difíceis da vida para celebrar os mais bonitos.

O Carnaval é a expressão de uma felicidade que por vezes se esconde no resto do ano, mas que naqueles dias, brilha com mais fulgor. Faz despertar a esperança nos corações, esperança de um futuro melhor e de que com a motivação certa, podemos alcançar grandes coisas. No dia a dia há barreiras que nos separam, mas no Carnaval um mesmo grito nos une: o grito que nos acorda da rotina e das obrigações e nos faz viver o momento sem a preocupação e amarras do futuro.

Então vamos correr, saltar, gritar. Sem medo de ser feliz, de ser censurado ou criticado. Vamos ser nós mesmos, dançar como se ninguém estivesse olhando, dar gargalhada, sonhar mais alto. Está na hora! Então... Que comece a festa!

Bom Carnaval para todos vocês!

O Carnaval está aí, galera. É motivo de festa. É calor! É samba! É cor! Este é o momento tão aguardado, tão ansiado. Já me sinto tremendo, sabe? Parece até que meu corpo está gingando a toda hora, porque se tem festa no coração dos homens, seu nome é Carnaval.

Todo mundo curtindo. Vale tudo. É dia de festejo, é dia de folia. É mascarada total! Quero ver felicidade estampada em seu rosto. Não tem jeito, não! É que este é o momento. O momento de encarnar quem você quiser e se divertir sem receio. É que mais do que nunca, hoje, você é o que você quiser ser. Sem preconceito. Quero ver você transpirando alegria. Faça com que seja inesquecível.

E vai em frente. Brinca, mas brinca muito. Some de você mesmo para se encontrar mais tarde e mais feliz. E aí, nessa hora, se lembra que a vida é um só momento. Esse momento se chama Carnaval.

Finalmente é Carnaval. É tempo de alegria! A maior celebração do mundo. Todos os preparativos, todos os ensaios, tudo está ansioso por fazer desta época, uma época memorável. Abram-se as alas à felicidade.

Nesta altura vale tudo. Nestas horas só importa ser feliz. Nada mais interessa além de encher os corações de cor e de samba e de fogo. É hora de dançar! O caminho é o bem-estar. Que festa maravilhosa.

Não vejo a hora de entregar meu corpo à saúde que o Carnaval oferece. Bem sei que passa rápido, bem sei que você nem enxerga o tempo passar, tamanha é a euforia. Por isso vamos orgulhar o mundo da nossa celebração.

Pois então viva, viva ao amor que escorre da rainha da bateria, viva à luz que vai ofusca seus olhos, viva ao samba.
Viva a você! Viva ao Carnaval!

Entra ano a sai ano
E o povo fica a contar
O dia esperado
Pra na folia brincar.
Carnaval é festa tradicional
Todos ficam a dançar
Ao som de marchinhas
E não param de cantar.
O frevo é uma dança
Que encanta os turistas
Na cidade de Olinda
Não tem arte mais bonita.
Já no Rio de Janeiro
A Cidade Maravilhosa
Inspiração de muitos artistas,
Que viveram outrora.
A riqueza de seu carnaval de rua
Enche os olhos do carnavalesco
Encantando com ricas alegorias
Apresentando detalhes de rara beleza.
Carnaval festa folclórica
Onde o povo costuma apresentar
Traços de sua origem
Por prazer de ressaltar
Seus valores e cultura
Fazendo sua terra brilhar.

É Carnaval! Esta data tem algo de mágico, algo de absolutamente inesquecível. Então que só de coisa boa nos lembremos amanhã. É que bem sabemos que na festa, os exageros são anfitriões, por isso vamos fechar a porta aos excessos e às coisas ruins que a inconsciência carrega.

Vamos ser especialmente felizes. Sem risco. Sem incidentes. Vamos respeitar todo o mundo, mas acima de tudo, vamos honrar nosso nome. Vamos fazer do Carnaval uma celebração do amor verdadeiro. Todo mundo sabe o quanto esta época é ansiada. É natural toda a folia. É compreensível e aceitável toda esta excitação, mas nada está acima do cuidado. Nada está acima do respeito. Nada está acima de você.

Faça o favor de se divertir, mas divertir muito mesmo! Dança tudo, canta até não aguentar mais. Vem aí o samba, olha lá! Vai em frente! Você merece, até porque o Carnaval é você.
Que a paz seja sua anfitriã, hoje e sempre.

Você é motivo de festa. A vida, o mundo são razões de sobra para festejar. Está claro que o Carnaval é a ostentação da carne, o jubilo de adoração a imagens desconhecidas para o coração. Por isso você sabe que sua estrada é a da verdade.

A luz é enobrecer Deus e a sua voz. Você é tão feliz por saber que está vivendo à semelhança da sua palavra! A celebração desta época festiva para alguns, o Carnaval, é um mar de excessos e desvarios. É uma época onde toda a doutrina de Deus é colocada à prova. As danças insultuosas, os excessos, o desrespeito ao próximo, tudo isso está aos olhos do mundo e cabe a você, querido evangélico, decidir o que fazer.

Seja qual for sua decisão, Deus estará a seu lado, porque ele te protege. Se quiser embarcar nas celebrações do Carnaval, coloque em prática os princípios do Evangelho.

Neste tempo de Carnaval, é muito importante examinarmos o nosso coração e fundamentarmos os nossos valores. Temos que nos lembrar das nossas motivações e de quem nós somos. Nós somos chamados para ser sal e luz do mundo, para fazer uma diferença e glorificar o nome de Deus através das nossas atitudes e palavras.

Isso não significa que somos chatos, que não sabemos nos divertir nem celebrar. Aliás, o povo de Deus deve ser conhecido pela sua alegria e sua liberdade. Mas sabemos para aquilo que somos chamados e que apesar de podermos fazer tudo, nem tudo nos convém. Sabemos que Jesus pagou um alto preço na cruz para nos resgatar dos nossos pecados. Já não somos nós que vivemos, mas Cristo vive em nós.

Muitas coisas que acontecem no Carnaval (e não só) e são consideradas "normais" para a maioria das pessoas, não podem ser uma prática de quem segue os ensinamentos de Jesus. Por esse motivo, devemos pensar bem naquilo que Deus quer para a nossa vida antes de festejar o Carnaval da mesma maneira que o resto das pessoas.

Minha geeeente...

São dias de festa...
E de muita alegria!
Você pode ser uma
havaiana...
E ele um rude pirata!
Não importa a fantasia...
Mas somente a alegria!
Vem pular o Carnaval...
Vem sambar sem igual!
Esta não é uma festa
comum... Mas sim
um grande festival!
Se você perder esta
caravana... Só no
próximo Carnaval!
Vamos fazer destes
dias... Uma festa
sem igual?

Agora tudo que se vê são corações pulsando como bateria.
Vem para misturar o juízo, para disfarçar a solidão no bloco da eterna esperança.
Fantasias e ilusões, onde estrelas são confetes e o carnaval também se faz poesia.
Vem o carnaval escondendo a tristeza atrás de máscaras coloridas, fascínio alucinante de liberdade, que rompe os laços e num passe de magia transforma gente comum em reis e rainhas.
Olhando de longe as alegorias o mundo agora é uma fantasia, e em meio à explosão do ritmo, do perfume, suor e alegria, desfila agora o bloco das letras, tamborilando esta patética poesia.

É na areia que está o meu carnaval, é no mar que estão as serpentinas, brancas ondas a quebrar na praia. Aqui encontro a magia da poesia, vestindo fantasia que a luz do sol irradia.
No meu carnaval não tem máscaras! Tem rostos, tem corpos bronzeados desfilando naturais alegorias na praia, que vem do mar, que vem da areia desfilando como netunos e sereias.
É a palavra que brinca na praia, no balanço das ondas faz o samba enredo, o carro abre alas é um navio pirata assaltando um coração enfeitado por poesia que na areia virou confete.

Estou a escrever pelo teu aniversário. Quero dar-te os parabéns e desejar-te muita felicidade em toda a tua vida. Hoje quero lembrar os momentos ardorosos e felizes daquele carnaval que passamos juntos.
De lá pra cá, muita coisa aconteceu. Tu retornaste ao teu país, deixaste um grande vazio na minha vida, pois eu ainda não esqueci aqueles dias maravilhosos que passamos juntos.
Foram sem dúvida momentos de grande ventura vividos por mim, apesar de terem sido fugazes, deixaram raízes.
Durante os primeiros seis meses, quando ainda mantínhamos uma correspondência regular, eu sabia da tua vida e recebia palavras de amor nas tuas mensagens. Mas depois até isso acabou, só a saudade ficou. Então soube através de terceiros, do reatamento do teu noivado.
Mas mesmo depois disso, continuamos a manter contato por mensagem, ainda por algum tempo. Quero dizer-te que estou triste, pois ainda penso muito em ti e lembro dos momentos inesquecíveis que passamos juntos. O nosso amor que nasceu na alegria do carnaval, que deixou apenas saudades daqueles momentos felizes, parece que está a morrer, sem cartas, sem retratos nem lembranças.
Esta mensagem é para tu saberes que eu não esqueci do teu aniversário. Ainda gosto de ti!

É tempo da festa em que só entra muito amor e muita alegria!
Chegou aquele momento sempre cheio de expectativas.
Que faz o coração bater mais forte,
Com tanta animação e diversão total.
É o tempo em que tudo mundo é igual,
Todos festejam juntos esquecendo qualquer condição.
Aquela época em que a brincadeira e a folia entram em cena,
Fazendo com que qualquer sentimento ruim desapareça.
Sentir a emoção da música invadindo o peito,
E conviver tudo isso com os amigos, não há melhor jeito!
Pode chegar carregado de coisas boas,
Seja muito bem-vindo meu tão esperado Carnaval!

Vai, não finge que não percebeu. Foi mais que carnaval e momento. Você tem o encaixe perfeito das minhas mãos e não abriu mão de provar isso.
O que fez um cara como você notar uma garota como eu não foi coincidência, não.
Tantas diversões fáceis e seu interesse pela menina fria e calada que não gosta de axé em pleno trio elétrico. Tanta beleza para você reparar naquela eterna insatisfeita da estética.
É, não finge que não viu. Eu percebi o tom de voz dos seus amigos. Não vem dizer que também não sentiu. Que não fez falta meu jeito desajeitado de não saber beijar, minha frieza por não saber me apegar.

Que todo final de semana fosse carnaval
Que toda sexta-feira tivesse festa
Que todo ser humano fosse sincero
Que todo homem fosse digno
Que todo marido fosse fiel
Que todo namorado fosse carinhoso
Que toda amiga fosse verdadeira
Que todo mundo fosse feliz
Que toda chuva fosse de verão
Que todo livro tivesse final feliz
Que toda família fosse unida
Que todo problema tivesse solução
Que toda viagem fosse incrível
Que toda decisão fosse fácil
Que toda nuvem fosse de algodão doce
Que dinheiro nascesse em árvores
Que os adultos tivessem a pureza das crianças
Que toda praia fosse deserta
Que toda carta fosse de amor
Que todo pai fosse companheiro
Que toda mãe fosse compreensiva
Que cada estrela fosse um desejo a realizar
Que todo sonho fosse doce
Que a única escola fosse a vida
Que toda esperança fosse real
Que toda luta fosse justa
Que o único vício fosse a alegria
Que toda lua fosse cheia
Que todo amor fosse eterno...

O amor é um carnaval É festa, é alegria É algo que não tem igual É um sentimento que contagia.
O amor é fogo Que aquece meu coração Alimentando minha alma Deixando-me sem paixão.
O amor é realidade Mostra-me a razão De como é difícil viver Sem amor no coração.
O amor é um grande mistério Não tem explicação É um sentimento maravilhoso Porem são poucas as pessoas que Realmente sabem o significado de AMAR.

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade é uma coisa boa
E tão delicada também
Tem flores e amores
De todas as cores
Tem ninhos de passarinhos
Tudo de bom ela tem
E é por ela ser assim tão delicada
Que eu trato dela sempre muito bem

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A minha felicidade está sonhando
Nos olhos da minha namorada
É como esta noite, passando, passando
Em busca da madrugada
Falem baixo, por favor
Pra que ela acorde alegre com o dia
Oferecendo beijos de amor

Vinicius de Moraes

A Páscoa é a mais importante festa da cristandade. Comemora-se a ressurreição de Jesus Cristo. A partir dela, todas as outras datas do calendário são estabelecidas.
Os cristãos passaram a festejá-la no primeiro domingo depois da primeira lua cheia do outono (no hemisfério sul).
Dois dias antes do domingo de Páscoa é a Sexta-Feira Santa.
Quarenta dias antes é a Quarta-Feira de Cinzas e, portanto, 43 dias antes, o Carnaval.

E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perde da outra, procura-a por um instante e depois adere a qualquer cordão. É melhor pensar que a última vez que se encontraram se curtiram muito — depois apenas aconteceu que não se encontraram mais. Eles não se despediram, a vida é que os despediu, cada um para seu lado — sem glória nem humilhação.
Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também uma lembrança boa; que não será proibido confessar que às vezes se tem saudades; nem será odioso dizer que a separação ao mesmo tempo nos traz um inexplicável sentimento de alívio, e de sossego; e um indefinível remorso; e um recôndito despeito.
E que houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossa vida; que a lembrança deles nos faz sentir maior a nossa solidão; mas que essa solidão ficou menos infeliz: que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa noite e de nosso confuso sonho?
Talvez não mereçamos imaginar que haverá outros verões; se eles vierem, nós os receberemos obedientes como as cigarras e as paineiras — com flores e cantos. O inverno — te lembras — nos maltratou; não havia flores, não havia mar, e fomos sacudidos de um lado para outro como dois bonecos na mão de um titeriteiro inábil.
Ah, talvez valesse a pena dizer que houve um telefonema que não pôde haver; entretanto, é possível que não adiantasse nada. Para que explicações? Esqueçamos as pequenas coisas mortificantes; o silêncio torna tudo menos penoso; lembremos apenas as coisas douradas e digamos apenas a pequena palavra: adeus.
A pequena palavra que se alonga como um canto de cigarra perdido numa tarde de domingo.

Rubem Braga - trecho do livro "A Traição das Elegantes"