Mensagens de Mães

Mãe é amor, carinho e proteção. Mãe é tudo o que há de bom. Dedico a todas as mães e futuras mães:

No tecido da história familiar, as mãos de minha mãe reforçaram as costuras para nos protegerem de qualquer empurrão da vida.

As mãos de minha mãe uniram com um alinhavo as partes do molde sem esquecer que cada uma é diferente da outra e que juntas fazem um todo
como a família.

As mãos de minha mãe fizeram bainhas para que pudéssemos crescer para que não nos ficassem curtos os ideais.

As mãos de minha mãe remendaram os estragos para voltarmos a usar o coração sem fiapos de ressentimentos.

As mãos de minha mãe juntaram retalhos para que tivéssemos uma manta única
que nos cobrisse.

As mãos de minha mãe seguraram presilhas e botões para que estivéssemos unidos e não perdêssemos a esperança.

As mãos de minha mãe aplicaram elásticos para nos podermos adaptar
folgadamente às mudanças exigidas pelos anos.

As mãos de minha mãe bordaram maravilhas para que a vida nos surpreendesse com as suas contínuas dádivas de beleza.

As mãos de minha mãe coseram bolsos para guardar neles as moedas valiosas das melhores recordações e da minha identidade.

As mãos de minha mãe, quando estavam quietas, zelavam os meus sonhos para que alimentassem os meus ideais com o pó das suas estrelas.

As mãos de minha mãe seguraram-me com linhas mágicas, quando entrava na vida para começar a vesti-la!

As mãos de minha mãe nunca abandonaram o seu trabalho. E sei muito bem que hoje, onde estiverem, fazem orações por mim.

E eu... Eu beijo-as como se recebesse bênçãos.

Alguém disse que uma criança é carregada no útero da mãe por nove meses. Alguém não sabe que uma criança é carregada no coração da mãe eternamente.
Alguém disse que leva cerca de seis semanas pra voltar ao normal depois que você tem um bebê. Alguém não sabe que uma vez que você é mãe, normal é história do passado.
Alguém disse que você aprende como ser mãe por instinto. Alguém nunca foi às compras levando uma criança de três anos. Alguém disse que ser mãe é enfadonho. Alguém nunca passeou num carro guiado por um jovem com uma recém licença de motorista.
Alguém disse que se você é uma "boa" mãe, sua criança será "boa". Alguém pensa que uma criança vem com direção e garantia.
Alguém disse que "boas" mães nunca levantam suas vozes. Alguém nunca saiu na porta a tempo de ver sua criança jogando a bola na janela do vizinho.
Alguém disse que você não necessita de educação para ser mãe. Alguém nunca ajudou uma criança com sua matemática. Alguém disse que você não pode amar a quinta criança tanto como amou a primeira. Alguém não tem cinco crianças.
Alguém disse que uma mãe pode achar todas as respostas para suas perguntas nos livros especializados. Alguém nunca teve uma criança com feijão obstruindo seu nariz.
Alguém disse que o mais difícil em ser mãe é o trabalho e a entrega. Alguém nunca viu seu "bebê" subindo no ônibus para o primeiro dia de jardim de infância.
Alguém disse que uma mãe pode fazer seu trabalho com os olhos fechados e uma mão amarrada nas costas. Alguém nunca organizou uma festinha de boneca para sete sorridentes rostinhos.
Alguém disse que uma mãe pode parar de se preocupar depois que sua criança se casa. Alguém não sabe que esse casamento adiciona um novo filho ou filha ao coração da mãe.
Alguém disse que o trabalho da mãe está feito quando sua última criança sai de casa. Alguém nunca teve netos.
Alguém disse que sua mãe sabe que você a ama, então você não precisa lhe falar. Alguém não é mãe.

Por que você está chorando?, ele perguntou à sua mãe." Porque eu sou mãe ", ela respondeu. " Eu não entendi ", ele disse. Ela apenas o abraçou e sussurrou: " Você nunca entenderá ".
Mais tarde o menino perguntou ao pai porque as mães parecem chorar sem nenhuma aparente razão. " Todas as mães choram sem motivo ", foi o que o pai conseguiu responder.
O menino cresceu, tornou-se um homem e ainda tentava entender porque mães volta e meia estão chorando.
Após muitos anos, já em avançada idade, ele deixou o mundo. Quando sua alma viu-se frente a frente com Deus, logo disse: "Senhor, nunca entendi porque mães choram tão facilmente "
Disse Deus:
" Quando eu criei as mães tinha que ser algo especial. Eu fiz seus ombros fortes o suficiente para carregar o peso do mundo e, ainda, suficientemente confortáveis para dar apoio.
Eu dei a elas a força para a hora do nascimento dos filhos e para suportar a rejeição que tantas vezes vem deles. Eu dei a elas a fibra que permite a continuação da luta quando todos à sua volta já desistiram.
Dei-lhes a perseverança em protegera família por entre doenças e tristezas sem jamais desistir de amar.
Dei-lhes a sensibilidade para amar seus filhos diante de quaisquer circunstâncias, mesmo que eles a tenham magoado profundamente. Essa mesma sensibilidade as ajuda a silenciar o chorinho dos seus bebês, fazendo com que se acalmem e, quando adolescentes, que compartilhem com ela suas ansiedades e medos.
... E, finalmente, dei-lhes a lágrima para derramarem sem nenhuma razão aparente. É sua única fraqueza.
Por que fiz isso? Para não diferenciá-las por completo do restante da espécie humana ".

–... E por favor me perdoa. Em nome de Jesus. Amém. Hannah suspirou quando subiu em sua cama. Depois de mentir para sua mãe alguns dias antes, Hannah tinha pedido à Deus que lhe perdoasse, mas de vez em quando ela ainda se sentia culpada e pedia novamente. A mãe sorrindo, deu-lhe um beijo e saiu apagando a luz.
Na tarde do dia seguinte, a mãe repentinamente exclamou, – Ó, Hannah, era para eu ter levado você para passear no shopping com sua vó esta tarde, e me esqueci completamente! Agora é tarde. Sinto muito. – O-o-o-h, pranteou Hannah, eu queria ir!
A mãe sentindo-se mau, perguntou – Pode me perdoar?
Hannah suspirou e acenou dizendo que sim.
Quando, naquela noite, Hannah desceu para jantar, sua mãe olhou pare ela e disse, – Hannah, sinto muito sobre o passeio ao shopping. Perdoe-me por não ter lembrado. – Tá bom, mãe, Hannah respondeu. Olhou os pratos na mesa. – Hum! Este frango parece muito bom!
Depois do jantar, Hannah ajudou sua mãe a arrumar a mesa. – Querida, de verdade, eu sinto-me mau por você ter perdido o passeio com sua vó, a mãe disse. Você me perdoará?
Hannah, confusa, olhou sua mãe. – Já lhe falei que tudo bem, disse, sem notar o sorriso da sua mãe.
Quando Hannah se preparava para dormir naquela noite, mais uma vez confessou a mesma mentira. Então alegremente pulou na cama. – Sobre o passeio ao shopping, querida, – sua mãe começou a falar enquanto esticava os cobertores sobre Hannah, – você me perdoa... – Mamãe! Você está se desculpando repetidamente! Reclamou Hannah. – Te perdoei na primeira vez, mas você me trata como se não acreditasse em mim!
Sua mãe sorriu e disse suavemente, – Não é como você tem tratado Deus? Errou quando mentiu sobre onde tinha ido outro dia. Se arrependeu e confessou a mim e a Deus, e eu acho que você sabe que eu te perdoei. Deus disse que te perdoou, também, e você continua a confessar a mesma coisa repetidas vezes como se você não acreditasse Nele.
Hannah ficou assustado. Então deu uma risadinha. – Acho que você está certa – Admitiu. – Vou agradecer ao invés de pedir perdão e obrigado, também, mamãe!