Mensagens de Ilusão

O amor maduro não é menor em intensidade. Ele é apenas quase silencioso. Não é menor em extensão. É mais definido, colorido e poetizado.
Não carece de demonstrações: presenteia com a verdade do sentimento. Não precisa de presenças exigidas: amplia-se com as ausências significantes.
O amor maduro somente aceita viver os problemas da felicidade. Problemas da felicidade são formas trabalhosas de construir o bem e o prazer. Problemas da infelicidade não interessam ao amor maduro.
O amor maduro cresce na verdade e se esconde a cada auto ilusão. Basta-se com o todo do pouco. Não precisa nem quer nada do muito.
Está relacionado com a vida e a sua incompletude, por isso é pleno em cada ninharia por ele transformada em paraíso. É feito de compreensão, música e mistério.
É a forma sublime de ser adulto e a forma adulta de ser sublime e criança. O amor maduro não disputa, não cobra, pouco pergunta, menos quer saber.
Teme, sim. Porém, não faz do temor, argumento. Basta-se com a própria existência. Alimenta-se do instante presente valorizado e importante porque redentor de todos os equívocos do passado.
O amor maduro é a regeneração de cada erro. Ele é filho da capacidade de crer e continuar, é o sentimento que se manteve mais forte depois de todas as ameaças, guerras ou inundações existenciais com epidemias de ciúme.
O amor maduro é a valorização do melhor do outro e a relação com a parte salva de cada pessoa. Ele vive do que não morreu mesmo tendo ficado para depois.
Vive do que fermentou criando dimensões novas para sentimentos antigos, jardins abandonados cheios de sementes. Ele não pede, tem.
Não reivindica, consegue.
Não persegue, recebe.
Não exige, dá.
Não pergunta, adivinha.
Existe, para fazer feliz.
Só teme o que cansa, machuca ou desgasta.

Em algum lugar do passado, encontrei com a tal felicidade. Ela bateu na porta do meu coração, entrou, e me falou: pegue esta chave, feche a porta, e depois a jogue fora, mas eu, desacatei, a chave guardei.
A felicidade era o amor, o amor, era você.
Amor inocente, puro, envolvido de cumplicidade, sonhávamos com a eternidade, buscávamos o infinito, as próprias estrelas brilhavam mais ao presenciar nosso amor...
De mãos entrelaçadas pelos verdes campos, andávamos, o vento soprava uma doce e suave melodia de amor, aumentando ainda mais nosso querer.
As flores exalavam ainda mais aromas e perfumes quando teus lábios num beijo quente uniam-se aos meus.
O tempo passava, mais e mais eu te amava, mas meu querer não foi tudo, meu sonhar insuficiente, te perdi.
Não acreditava que nessas encruzilhadas da vida uma cilada do destino me aguardava, você me deixou, desesperado meu coração se quebrou, o encanto, terminou.
Agora apenas as lembranças, recordações de nós dois, do que foi a felicidade, dos momentos que acreditávamos serem eternos, o sonho de um amor sem fim.
Tudo se acabou, como o dia que se vai com a chegada da noite, como a noite que se vai com o novo amanhecer, e mesmo assim sinto o quanto ainda te amo.
Ainda te amo, muito além do teu adeus, além do oceano, do imenso infinito...
O caminho que seguíamos juntos, em duas estradas distanciadas se partiram, mas assim mesmo, te amo.
Te amo, sempre te amarei, nas lembranças que acompanham meus dias intermináveis, nesta saudade que não deixa as lágrimas conterem-se ao brotar nos olhos, rolar na face, e, e nos lábios morrerem.
Você me esqueceu, mas ainda te amo, sigo meu destino, por ti chamando, na ilusão que em algum lugar do futuro, o passado perdido, volte a ser o presente feliz, pois sigo te amando, sempre te amando.
Ainda te amo.