Mensagens Espirituais

Mantém-te em paz.

É provável que os outros te guerreiem gratuitamente, hostilizando-te a maneira de viver; entretanto, podes avançar em teu roteiro, sem guerrear a ninguém.

Para isso, contudo - para que a tranquilidade te banhe o pensamento -, é necessário que a compaixão e a bondade te sigam todos os passos.

Assume contigo mesmo o compromisso de evitar a exasperação.

Junta da serenidade, poderás analisar cada acontecimento e cada pessoa no lugar e na posição que lhes dizem respeito.

Repara, carinhosamente, os que te procuram no caminho...

Todos os que surgem, aflitos ou desesperados, coléricos ou desabridos, trazem chagas ou ilusões. Prisioneiros da vaidade ou da ignorância, não souberam tolerar a luz da verdade e clamam irritadiços... Unge-te de piedade e penetra-lhes os recessos do ser, e identificarás em todos eles crianças espirituais que se sentem ultrajadas ou contundidas.

Uns acusam, outros choram.

Ajuda-os, enquanto podes.

Pacificando-lhes a alma, harmonizarás, ainda mais, a tua vida.

Aprendamos a compreender cada mente em seu problema.

Recorda-te de que a Natureza, sempre divina em seus fundamentos, respeita a lei do equilíbrio e conserva-a sem cessar.

Ainda mesmo quando os homens se mostram desvairados, nos conflitos abertos, a Terra é sempre firme e o Sol fulgura sempre.

Viver de qualquer modo é de todos, mas viver em paz consigo mesmo é serviço de poucos.

As raízes são um importante suporte, uma sustentação para a sanidade mental de uma pessoa." Overrated.

Todo mundo comemora alguma coisa.
Muitos comemoram as mesmas coisas mesmo pertencendo a diferentes culturas, nacionalidades, por exemplo, Natal, Páscoa, casamentos, aniversários, a chegada de um novo ano (não necessariamente no mesmo dia).
Na nossa casa estamos sempre buscando motivos pra festejar momentos que consideramos belos e simbólicos e que, no que nos dizem respeito, não coincidem necessariamente com os festejos religiosos ou datas comemorativas tipo dia dos nossos aniversários ou outras oficiais do país onde vivemos. Esta circunstância nos aproxima da idéia de valorizarmos as tradições sejam brasileiras (por causa da mamãe), sejam italianas (eles) e também por que não inventarmos nós novas celebrações em família?

-O motivo pra comemorar somos nós quem criamos.

Bem, é por isso que resolvi registrar no blog alguns desses momentos vívidos em família, não expondo em detalhes tudo o que sucede na rotina diária das crianças e nossa, mas apenas fatos, ou eventos que parecem significativos para o progresso pessoal delas e nosso também, utilizando ainda a blogosfera como instrumento facilitador do nosso contato com os parentes e amigos distantes.

A pedagogia montessoriana em alguns pontos e de modo mais completo aquela steineriana consideram as celebrações das tradições como parte integrante da vida familiar e escolar, enquanto momentos significativos de reconhecimento e relacionamento com as raízes da própria comunidade. Algumas destas recorrências têm origem muito antiga e ocorrem ao longo do ano em harmonia com os ciclos da natureza e mudanças de cada estação.
Assim, o simples fato de comemorar seja lá o que for e pelo motivo que for nos permite de aprender sempre e cada vez mais sobre as nossas heranças pessoais, espirituais e culturais na tentativa de construirmos juntos uma memória para a próxima geração. Afinal de contas cada comemoração nos faz lembrar de que não somos seres isolados e nem podemos pretender ser, pois todos pertencemos mesmo sem querer voluntariamente a uma comunidade grande ou pequena que seja.

Se te decides, efetivamente, a imunizar o coração contra as influências do mal, é necessário que te convenças:

que todo minuto é chamamento de Deus à nossa melhoria e renovação;
que toda pessoa se reveste de importância particular em nosso caminho;
que o melhor processo de receber auxílio é auxiliar em favor de alguém;
que a paciência é o principal ingrediente na solução de qualquer problema;
que sem amor não há base firme nas construções espirituais;
que o tempo gasto em queixa é furtado ao trabalho;
que desprezar a simpatia dos outros, em nossa tarefa, é o mesmo que pretender semear um campo sem cogitar de lavrá-lo;
que não existem pessoas perversas e sim criaturas doentes a nos requisitarem amparo e compaixão;
que o ressentimento é sempre foco de enfermidade e desequilíbrio;
que ninguém sabe sem aprender e ninguém aprende sem estudar;
e que em suma, nos basta pedir aos céus, através da oração, para que baixem à Terra, mas também cooperar, através do serviço ao próximo, para que a Terra se eleve igualmente para os Céus.

Jesus, divino trabalhador e amigo dos trabalhadores volvei vosso olhar benigno para o mundo do trabalho.
Nós vos apresentamos as necessidades dos que trabalham intelectual, moral ou materialmente. Bem sabeis como são duros os nossos dias, cheios de canseira, sofrimento e insídia. Vede as nossas penas físicas, morais e repeti aquele brado de vosso coração: "tenho dó deste povo".
Dai-nos a sabedoria, a virtude e o amor que vos alentou nas vossas laboriosas jornadas, inspirai-nos pensamentos de fé, de paz e moderação, de economia, a fim de procurarmos, com o pão de cada dia, os bens espirituais, para transformarmos a face da terra, completando assim a obra da criação que vós iniciastes. E que vossa luz nos ilumine a nós na busca de melhores leis sociais e ilumine os legisladores a estabelecer uma sociedade de justiça e amor.
Amém.

Meu irmão, não sei qual é o mal que lhe aflige no momento, mas seja ele qual for, físico ou espiritual, que tudo possa melhorar agora.
Que haja transformação em tudo aquilo que esteja estagnado em seu ser.
Que você possa ser curado no seu espírito, causa de sua vida e de seu destino.
Que os ventos da renovação soprem sobre os seus rumos e escolhas.
Que uma ternura secreta acalente os seus pensamentos.
Que o precioso toque sutil dos protetores espirituais lhe conforte.
Que os anjos da presença secretamente cantem por você.
Que haja um novo despertar em sua vida.
Que o cálido canto dos anjos aqueça o seu coração.
Que o seu mal seja curado, seja na Terra ou no Céu.
Que os anjos da presença compartilhem as bênçãos celestes em seu corpo, e em seu espírito.
Que haja luz em seu ser.
Que a tristeza, a dor e as mágoas sejam dissolvidas na luz.
Que você possa seguir com confiança, pois os anjos da presença estão ao seu lado.
Que as dores de agora, e os problemas do passado deem passagem para o despertar espiritual se apresentar dentro de você.
Que o seu despertar seja radiante.
E que a sabedoria seja a sua nova parceira.
Que o amor, a eterna presença, esteja sempre com você.

Wagner Borges

Teólogos eminentes, tentando harmonizar interesses temporais e espirituais, obscureceram o problema da morte, impondo sombrias perspectivas à simples solução que lhe é própria.
Muitos deles situaram as almas em determinadas zonas de punição ou de expurgo, como se fossem absolutos senhores dos elementos indispensáveis à análise definitiva. Declararam outros que, no instante da grande transição, submerge-se o homem num sono indefinível até o dia derradeiro consagrado ao Juízo Final.

Hoje, no entanto, reconhece a inteligência humana que a lógica evolveu com todas as possibilidades de observação e raciocínio.

Ressurreição é vida infinita. Vida é trabalho, júbilo e criação na eternidade.

Como qualificar a pretensão daqueles que designam vizinhos e conhecidos para o inferno ilimitado no tempo? como acreditar permaneçam adormecidos milhões de criaturas, aguardando o minuto decisivo de julgamento, quando o próprio Jesus se afirma em atividade incessante?

Os argumentos teológicos são respeitáveis; no entanto, não deveremos desprezar a simplicidade da lógica humana.

Comentando o assunto, portas a dentro do esforço cristão, somos compelidos a reconhecer que os negadores do processo evolutivo do homem espiritual, depois do sepulcro, definem-se contra o próprio Evangelho. O Mestre dos Mestres ressuscitou em trabalho edificante. Quem, desse modo, atravessará o portal da morte para cair em ociosidade incompreensível? Somos almas, em função de aperfeiçoamento, e, além do túmulo, encontramos a continuação do esforço e da vida.

"E, se não há ressurreição de
mortos, também o Cristo não
ressuscitou."
Paulo.

1 CORINTIOS, 15:13.

Somos surfistas da vida!
Deslizamos pelas ondas da experiência em nossos corpos-prancha, fazendo evoluções em meio aos movimentos do mar de energia onde nos manifestamos.
Podemos surfar pela vida com graça e alegria ou podemos quebrar a cara em tombos violentos, se não tivermos a habilidade necessária.
Viver é surfar! Vida é movimento!
Há muitos oceanos, na Terra e além... E muitas ondas a conhecer, muitas pranchas e muitas evoluções...
Oxalá possamos transformar nossos corpos em pranchas de sabedoria e possamos surfar com maestria e amor nesse imenso oceano da Criação.
Possamos aprender com nossos tombos, pois surfar é preciso...
Aqui na Terra, temos corpos-prancha de várias cores: negros, amarelos, vermelhos e brancos. Mas, os surfistas que ocupam essas pranchas são de uma só cor: a cor da luz!
Sim, são da mesma cor de Deus! São da cor da imortalidade!
Pois é, meus amigos surfistas, haja ondas, pranchas, tombos, evoluções e luz nesse universo de Deus. Mas, uma coisa as ondas do tempo e da experiência ensinaram-me: mudam-se as pranchas e os mares, as ondas sobem e descem, mas os surfistas prosseguem na crista da onda da Eternidade.
São surfistas espirituais nas ondas de Deus...

Um homem sempre resmungava e reclamava da comida que sua esposa estava colocando à mesa.
Servida a refeição, ele orava em agradecimento.
Um dia, depois de sua rotineira reclamação combinada com a oração, sua pequena filha perguntou, - Papai, Deus nos ouve quando oramos?
- Que pergunta! É claro! Ele respondeu.
- Deus nos ouve toda vez que oramos.
- E ouve tudo o que nós dizemos o resto do tempo?
- Sim, cada palavra. Ele respondeu, animado já que tinha inspirado sua filha a ser curiosa sobre questões espirituais.
Ela pensou por uns instantes e, inocentemente, interroga, - Então, em qual Deus acredita?
E você, tem resmungado muito?