Separação - Mensagens

Talvez este não deveria ser o melhor texto para postar às vésperas de uma data tão importante como o dia dos namorados. Porém, é uma possibilidade e risco para todos aqueles que namoram...

Então, se isso for necessário um dia, preste atenção nas 7 dicas para acabar um namoro decentemente:

1. Não trate as coisas com banalidade, como se se desfizesse de um brinquedo velho. Lembre-se que dentro do seu ex-namorado existem sentimentos que não podem ser simplesmente ignorados.
2. Na hora de acabar, fale pessoalmente e a sós. Não evapore de uma hora para outra e nada de terminar o namoro por telefone, e-mail ou na frente de amigos. Não seja covarde. Converse particularmente.
3. Seja objetivo, não enrole, não crie suspense, para a pessoa não sofrer mais ou se sentir enganada durante o tempo em que vocês ficaram juntos. Senão, o sentimento bonito que o seu ex-amor tinha por você pode se transformar em ódio puro.
4. Quando estiver falando, seja cuidadoso. Não diga coisas que firam mais ainda a pessoa. Ela vai se sentir bastante machucada pelo término do relacionamento. Tente não agravar a dor.
5. Se o namoro está acabando por algo que você não aprecia na pessoa, seja franco sem magoar. Lembre-se que você também é de carne e osso, não é perfeito. Não tente bancar o bonzinho, o santinho da história, a vítima.
6. Evite alterar a tonalidade da voz. Se a voz aumentar de volume, vai parecer mais uma briga do que o fim civilizado de um relacionamento.
7. Antes de se preocupar com um próximo namoro, dê um tempo. É bom que não fique caracterizado que você deixou o seu namorado (ou namorada) para cair nos braços de outra pessoa.

E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perde da outra, procura-a por um instante e depois adere a qualquer cordão. É melhor pensar que a última vez que se encontraram se curtiram muito — depois apenas aconteceu que não se encontraram mais. Eles não se despediram, a vida é que os despediu, cada um para seu lado — sem glória nem humilhação.
Creio que será permitido guardar uma leve tristeza, e também uma lembrança boa; que não será proibido confessar que às vezes se tem saudades; nem será odioso dizer que a separação ao mesmo tempo nos traz um inexplicável sentimento de alívio, e de sossego; e um indefinível remorso; e um recôndito despeito.
E que houve momentos perfeitos que passaram, mas não se perderam, porque ficaram em nossa vida; que a lembrança deles nos faz sentir maior a nossa solidão; mas que essa solidão ficou menos infeliz: que importa que uma estrela já esteja morta se ela ainda brilha no fundo de nossa noite e de nosso confuso sonho?
Talvez não mereçamos imaginar que haverá outros verões; se eles vierem, nós os receberemos obedientes como as cigarras e as paineiras — com flores e cantos. O inverno — te lembras — nos maltratou; não havia flores, não havia mar, e fomos sacudidos de um lado para outro como dois bonecos na mão de um titeriteiro inábil.
Ah, talvez valesse a pena dizer que houve um telefonema que não pôde haver; entretanto, é possível que não adiantasse nada. Para que explicações? Esqueçamos as pequenas coisas mortificantes; o silêncio torna tudo menos penoso; lembremos apenas as coisas douradas e digamos apenas a pequena palavra: adeus.
A pequena palavra que se alonga como um canto de cigarra perdido numa tarde de domingo.

Rubem Braga - trecho do livro "A Traição das Elegantes"

Por força de circunstâncias que fogem ao nosso controle, vais embora. Sei que a tua partida não significa um rompimento, e sei também que o amor que sinto por ti não vai mudar de qualidade, pois vai permanecer sempre intenso, profundo e ardente como devem ser os amores verdadeiros.
É triste, difícil, doloroso mesmo aceitar esta situação. Mas antes de partires quero que saibas que nunca, em toda a minha vida, amei tanto alguém como eu te amo e que nunca dediquei tanto carinho e afeição a ninguém.
Os quilômetros que agora vão nos separam serão vencidos, tenho certeza, e espero que isso aconteça brevemente. Claro que vou morrer de saudades, mas acredito que precisamos de ser fortes para suportar esta distância que nos é temporariamente imposta.
Eu amo-te muito e também me sinto muito amado por ti, e acho que isso é o mais importante, pois sei de muitos amores que resistem a muito mais do que apenas alguns quilômetros, resistem a oceanos inteiros. Quero garantir-te que o tempo em que formos obrigados a esta separação física não será suficiente para destruir este meu sentimento em relação a ti, pois estás e estarás sempre no meu pensamento, aconteça o que acontecer, pois eu sinto muito a tua falta (mesmo quando ela acontece por poucos minutos), e preciso de ti, da tua atenção, do teu carinho, dos teus abraços e beijos.
Sabes, pensei que fosse mandar uma mensagem de despedida, mas na verdade quero que esta mensagem toque o teu nobre coração como uma mensagem de esperança: a esperança de que em breve estaremos juntos, nova e definitivamente.